Inmet alerta para umidade do ar próxima a 25% em MS até sábado

A meteorologia alerta aos sul-mato-grossenses sobre a possibilidade de a umidade relativa do ar permanecer entre 30% e até 25% até sábado (5), exigindo da população cuidados relativos à hidratação e doenças respiratórias. Conforme o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), tanto a Capital quanto o interior do Estado vão experimentar dias com altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar. A possibilidade de chuva é quase nula.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) considera índices de umidade de até 60% satisfatórios para as pessoas. Abaixo disso, podem começar a ocorrer complicações de saúde, sendo que índices inferiores a 30% geram situação de atenção.

De acordo com os dados, com exceção do noroeste do Estado –onde na tarde de quarta-feira (2) podem ocorrer chuvas isoladas–, o tempo firme deve imperar em Mato Grosso do Sul nos próximos dias. As temperaturas mínimas devam variar entre 18ºC e 19ºC, enquanto as máximas vão chegar a 37ºC.

Em relação à umidade, os índices máximos ficarão entre 85% e 95% na maior parte do Estado –no sudoeste e região do Pantanal, já há alerta para umidade entre 25% e 50% nesta quarta. Ao longo do dia, por conta do calor, devem baixar para próximo de 30% de quarta a sexta-feira (4). No sábado, a umidade pode chegar aos 25%.

Campo Grande – A Capital deve registrar condições climáticas semelhantes, com dias ensolados e momentos de céu parcialmente nublado. Entre quarta e sexta, a temperatura mínima não deve baixar de 18ºC, com as máximas em 33ºC. Até quinta-feira (3), a umidade do ar vai oscilar de 30% a 80%.

A partir de sexta haverá piora nas condições de umidade, conforme o Inmet, com a máxima não passando de 65%. No sábado, o calor aumenta, podendo chegar aos 38ºC em Campo Grande (e mínima de 18ºC), enquanto a umidade pode variar entre 50% e 25%.

Níveis – Em estado de atenção, com a umidade entre 21% e 30%, a OMS recomenda que a população evite exercícios físicos ao ar livre entre as 11h e as 15h e providencie meios de umidificar o ambiente –usando vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água ou molhando jardins– e de se proteger do sol.

Quando a umidade do ar está entre 20% e 12%, deve-se ampliar o horário de supressão de atividades físicas ao ar livre, restringindo-as das 10h às 16h e evitar aglomerações em ambientes fechados. Em alguns casos, é recomendado o uso de soro fisiológico para umidificar olhos e narinas.

Se os índices forem inferiores a 12%, pede-se que quaisquer atividade ao ar livre sejam suspensas, bem como atividades que exijam aglomerações em locais fechados (salas de aula, cinema etc), providenciando-se meios de manter ambientes internos dos imóveis úmidos.

A redução na umidade do ar causa complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas, havendo possibilidade de sangramentos nasais e irritação dos olhos. Há, ainda, aumento no acúmulo de eletricidade estática em equipamentos eletrônicos e até pessoas (com a sensação de “choque”) e do risco de incêndios em áreas verdes –terrenos baldios, pastagens e florestas.

Comentários