Inflação bate recorde de 13 anos em outubro na Capital

Os combustíveis foram os maiores responsáveis pela alta da inflação em Campo Grande no mês de outubro. Segundo o Núcleo de Pesquisas Econômicas (Nepes) da Uniderp, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC/CG) no mês foi de 0,97%. Considerando o acumulado em 2015 atingiu os 9,23% e nos últimos 12 meses chegou a 10,32%.

Alta nos preços do etanol, da gasolina e do diesel teve grande impacto na inflação em Campo Grande Foto: Divulgação Biosul
Alta nos preços do etanol, da gasolina e do diesel teve grande impacto na inflação em Campo Grande
Foto: Divulgação Biosul

De acordo com o Nepes, os itens que mais contribuíram para a alta do IPC/CG em outubro foram: etanol (0,25%), diesel (0,10%), gasolina (0,10%), sabão em pó (0,06%), hidratante (0,05%), arroz (0,04%), laranja pera (0,03%), bebidas não alcoólicas (0,03%), açúcar (0,03%) e bebidas alcoólicas (0,03%).

Quando os produtos são reunidos em grupos, o que teve o maior peso no índice de inflação da capital foi o de “Transportes”, justamente no qual estão contabilizados os preços dos combustíveis. Esse grupo teve um peso de 0,46% no índice, seguido pela “Alimentação”, com 0,34% e “Educação”, com 0,12%.

Deflação em outubro foi registrada apenas com o grupo “Vestuário”, com -0,30%. Os dez itens que mais ajudaram a segurar a inflação nesse período com contribuições negativas foram: cebola (-0,07%), camisa masculina (-0,03%), carne seca/charque (-0,03%), frango congelado (-0,02%), máquina de lavar roupa (-0,02%), calça comprida masculina (-0,02%), impressora (-0,02%), esponja de aço (-0,02%), sapato feminino (-0,01%) e cenoura (-0,01%).

Para o coordenador do Nepes e pesquisador da Uniderp, Celso Correia de Souza, a escalada da inflação sinalizada anteriormente se concretizou. “A inflação acumulada em 12 meses na cidade de Campo Grande rompeu o patamar dos dois dígitos, o que não acontecia desde o ano de 2003, quando atingiu 11,82%. O fato é negativo para as autoridades governamentais e para o contribuinte que está vendo seu salário reduzir o potencial de compra”, concluiu.

Comentários

comentários