Indústrias de chocolate do Estado esperam aumentar faturamento em 10% na Páscoa

O período de Páscoa, uma das melhores datas para as indústrias de chocolate no ano por gerar um aumento significativo na produção e em empregos temporários, também deixa otimistas os empresários de Mato Grosso do Sul. As indústrias de chocolate do Estado já verificam aumento da demanda por ovos e outros produtos e, para este ano, aguardam faturamento 10% superior ao registrado no mesmo período comemorativo de 2018.

Tanto que, com a produção aquecida, os empresários já investem na contratação de mão de obra temporária para a confecção e para a venda dos produtos. Em Dourados (MS), por exemplo, a Comercial Pelicano, que há 25 anos fabrica e comercializa ovos de Páscoa e embalagens para a fabricação caseira do produto, vai reforçar o número de funcionários.

“Vamos ampliar a linha de produção em cerca de 30%, um percentual inclusive maior do que ano passado, e fazer o mesmo com o número de representantes de comerciais, que esperamos contratar pelo menos 20, para fazer as vendas em todas as regiões do Estado”, afirmou o proprietário Rubens Luiz Triaca.

Crescimento da atividade

O empresário aposta no faturamento 10% maior ao levar em conta fatores como o crescimento progressivo da atividade nos últimos anos, apesar do período de recessão e redução do poder de compra das famílias nos últimos anos. “Ainda que todos passaram por um período de dificuldade, os estoques de ovos de Páscoa no supermercado sempre foram zerados. O que é produzido, é vendido”, analisou.

Em Campo Grande, a Sweet Confeitaria, que desde 2007 atua no mercado de confeitaria e, três anos depois, enxergou na produção de ovos de Páscoa uma oportunidade de ampliar as vendas e o catálogo de produtos, também trabalha com a expectativa de faturar 10% a mais em 2019. “Começamos a preparar catálogo no início do ano e, passado o Carnaval, é hora de iniciar a produção”, disse a proprietária Andressa Sandri.

A empresária acrescenta que já aumentou o quadro de funcionários em 10% e esperamos obter, pelo menos, esse mesmo percentual no que diz respeito ao aumento das vendas. “Inclusive ampliamos a produção em 20% porque, caso haja sobra, os produtos são adquiridos mesmo após a Páscoa”, afirmou.

Dados

Segundo a ABICAB (Associação Brasileira das Indústrias de Chocolates, Amendoim e Balas), em 2018 foram produzidas mais de 11 mil toneladas de ovos e produtos de Páscoa em todo o País, número 26% maior que o registrado no ano anterior. A entidade afirma que, juntas, indústrias e varejo geraram mais de 18 mil vagas de empregos temporários, tanto em fábricas quanto em pontos de venda.

“Estamos confiantes. O mercado de chocolate volta a ganhar penetração nos lares brasileiros com maior consumo de ovos e figuras de Páscoa, como também de produtos regulares. A indústria tem amplo portfólio que agrada todos os perfis dos brasileiros”, explicou Ubiracy Fonsêca, presidente da ABICAB.

Ainda em 2018, o setor de chocolates (não apenas Páscoa), faturou R$ 13,3 bilhões no Brasil, segundo dados do Euromonitor. “Outro indicador do desempenho positivo da indústria no ano passado, e que reforça o otimismo para este ano, foi o aumento de 6,5% na produção de chocolate, totalizando 671 mil toneladas de chocolates, incluindo achocolatados em pó”, finalizou Ubiracy Fonsêca.

 

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui