Indústria sul-mato-grossense encerra 2015 com 9,1 mil demissões

Foto Divulgação
Foto Divulgação

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, fechou 2015 com 9.185 demissões, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. De acordo com o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, dezembro registrou o 10º mês consecutivo com redução de postos de trabalho na indústria sul-mato-grossense com saldo negativo de 2.136 vagas.

Ainda de acordo com Ezequiel Resende, os segmentos industriais que apresentaram as maiores reduções no mês de dezembro foram indústria da construção (-723), indústria química (-394), indústria de produtos alimentícios e bebidas (-200), indústria de calçados (-190) e indústria têxtil e do vestuário (-172). “Já no acumulado de janeiro a dezembro as maiores reduções ocorreram na indústria da construção (-3.205), indústria química (-1.687), indústria têxtil e do vestuário (-1.644), indústria de produtos alimentícios e bebidas (-961), indústria mecânica (-719) e indústria metalúrgica (-489)”, detalhou.

Ele destaca que o conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou dezembro de 2015 com um contingente de 125.498 trabalhadores formalmente empregados, queda de 1,56% em relação a novembro. “Com o desempenho ocorrido no último mês do ano, a indústria caiu do 3º para o 4º maior contingente de trabalhadores formais do Estado, condição ocupada pela última vez em 2006. Atualmente, a atividade industrial responde por 19,5% de todo o emprego formal existente em Mato Grosso do Sul”, informou.

O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems detalha que, com o desempenho registrado em 2015, o setor industrial ficou atrás dos setores de serviços, que emprega 189.343 trabalhadores com participação equivalente a 29,5%, de administração pública, com 130.368 trabalhadores ou 20,3%, e do comércio, com 126.760 ou 19,7% do total”, exemplificou, completando que, em relação à folha de pagamento, considerando o salário nominal médio na indústria estadual em 2015 de R$ 1.931,98, a soma de todos os salários pagos aos industriários sul-mato-grossenses ao fim do ano passando alcançou o equivalente a R$ 2,909 bilhões.

Especificações

Em Mato Grosso do Sul, no período de janeiro a dezembro de 2015, ao todo 77 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 2.930 vagas. Entre as atividades industriais com saldo positivo de pelo menos 130 vagas destacaram-se abate de suínos, aves e outros pequenos animais (+520), distribuição de energia elétrica (+228), fabricação de produtos de pastas celulósicas, papel, cartolina, papel-cartão e papelão ondulado (+199), obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (+197), fabricação de alimentos para animais (+158), fabricação de celulose e outras pastas para a fabricação de papel (+154) e construção de obras de arte especiais (+137).

Por outro lado, no mesmo período, 137 atividades industriais apresentaram saldo negativo, proporcionando o fechamento de 12.115 vagas. Entre as atividades industriais com saldo negativo de pelo menos 130 vagas destacaram-se fabricação de álcool (-1.634), abate de reses, exceto suínos (-1.299), construção de rodovias e ferrovias (-1.081), construção de edifícios (-786), obras de engenharia civil não especificadas anteriormente (-768), confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas (-545), fabricação de fogões, refrigeradores e máquinas de lavar e secar para uso doméstico (-511), fabricação de artefatos têxteis para uso doméstico (-413), confecção de roupas íntimas (-364), catering, bufê e comida preparada (-316) e serviços especializados para construção não especificados anteriormente (-292).

Em relação aos municípios, constatou-se que em 38 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação no período de janeiro a dezembro de 2015, proporcionando a abertura de 1.888 vagas. Entre as cidades com saldo positivo de pelo menos 70 vagas destacaram-se São Gabriel do Oeste (+348), Anastácio (+219), Nova Andradina (+157), Itaquiraí (+123), Juti (+105), Sidrolândia (+91), Angélica (+90), Bataguassu (+86), Chapadão do Sul (+83), Coxim (+78) e Terenos (+76).

No entanto, no mesmo período, em 39 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, proporcionando a fechamento de 11.073 vagas. Entre as cidades com saldo negativo de pelo menos 70 vagas destacaram-se Campo Grande (-3.926), Três Lagoas (-1.405), Dourados (-989), Bataiporã (-759), Nova Alvorada do Sul (-737), Paranaíba (-536), Naviraí (-486), Caarapó (-429), Corumbá (-359), Eldorado (-293), Aparecida do Taboado (-227), Ponta Porã (-146), Ribas do Rio Pardo (-133), Iguatemi (-107) e Costa Rica (-98).

Comentários

comentários