Indústria de MS acumula mais de 3 mil novos postos de trabalho em 2018

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, que é composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, já registra saldo positivo de 3.002 novos postos de trabalho no período de janeiro a outubro deste ano, resultante de 49.106 contratações e 46.104 demissões, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Além disso, somente em outubro, o saldo positivo é de 247 vagas, resultado de 4.546 contratações e 4.299 demissões.

Para o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, enquanto no mês de outubro os maiores saldos foram nas indústrias alimentos e bebidas (+323), indústria mecânica (+46), calçados (+44) e indústria da madeira e do mobiliário (+42), nos primeiros dez meses deste ano os maiores saldos foram nas indústrias alimentos e bebidas (+1.035), química (+922), indústria da construção (+361), indústria metalúrgica (+236), indústria da madeira e do mobiliário (+189) e indústria mecânica (+145).

“O conjunto das atividades industriais em Mato Grosso do Sul encerrou o mês de outubro de 2018 com 123.322 trabalhadores empregados, indicando elevação de 0,23% em relação a setembro, quando o contingente ficou em 123.042 funcionários. Atualmente, a atividade industrial responde por 19% de todo o emprego formal existente em Mato Grosso do Sul, ficando atrás dos setores de serviços, que emprega 191.899 trabalhadores com participação equivalente a 29,6%, administração Pública, com 133.908 empregados ou 20,7%, e comércio, com 126.476 empregados ou 19,5%”, detalhou Ezequiel Resende.

Detalhamento

Em Mato Grosso do Sul, de janeiro a outubro de 2018, 128 atividades industriais apresentaram saldo positivo de contratação, proporcionando a abertura de 5.580 vagas, com destaque para fabricação de álcool (+903), construção de edifícios (+742), obras de engenharia civil não especificadas (+476), abate de suínos e aves e outros pequenos animais (+376). Por outro lado, 83 atividades industriais apresentaram saldo negativo, sobressaindo obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (-560), construção de rodovias e ferrovias (-442), montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas (-216) e confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas (-129).

Em relação aos municípios, constatou-se que em 49 deles as atividades industriais registraram saldo positivo de contratação de janeiro a outubro de 2018, proporcionando a abertura de 4.619 vagas, com destaque para Campo Grande (+1.564), Naviraí (+468), Dourados (+306), Paranaíba (+272), Ponta Porã (+196), Sidrolândia (+150), Eldorado (+143), Aparecida do Taboado (+140), Nova Andradina (+123), Maracaju (+118), Nioaque (+111) e Chapadão do Sul (+109). Nessas cidades, as atividades que mais contribuíram foram fabricação de álcool (+755), construção de edifícios (+752), obras de engenharia civil não especificadas (+478), abate de reses, exceto suínos (+303), abate de suínos, aves e outros pequenos animais (+282) e fabricação de açúcar em bruto (+226).

Por outro lado, em 25 municípios as atividades industriais registraram saldo negativo, proporcionando o fechamento de 1.617 vagas, sobressaindo as cidades de Três Lagoas (-613), Angélica (-288), Água Clara (-192), Corumbá (-122) e São Gabriel do Oeste (-106). As atividades que mais contribuíram foram obras para geração e distribuição de energia elétrica e para telecomunicações (-419), fabricação de açúcar em bruto (-277), construção de rodovias e ferrovias (-229), montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas (-202), confecção de peças do vestuário, exceto roupas íntimas (-110) e fabricação de biscoitos e bolachas (-109).

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui