Índice que reajusta o aluguel fecha em 7,17% em 2016

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecido como “inflação do aluguel”, porque é usado para reajustar a maioria dos contratos de locação de imóveis, registrou variação de 0,54%, em dezembro, depois de recuar 0,03% no mês anterior.

Com isso, no ano, de janeiro a dezembro, o IGP-M acumulou alta de 7,17% – resultado inferior aos 10,54% registrados no final de 2015, segundo informou nesta quinta-feira (29) a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O IGP-M está acima do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país. De acordo com a última prévia de meados de dezembro, o indicador deverá fechar o ano perto de 6,58%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que calcula os preços no atacado e entra na composição do IGP-M, subiu 0,69% em dezembro, depois de ter deflação de 0,16% em novembro. Em 12 meses, o indicador ficou em 7,64%, também acima do resultado de 2015 (7,32%).

Também usado no cálculo da “inflação do aluguel”, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que avalia o comportamento dos preços no varejo, desacelerou de 0,26% para 0,20%, em dezembro. De janeiro a dezembro, o subíndice chegou a 6,25%, abaixo da variação de 7,02% no ano anterior.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que calcula os preços da construção e tem o menor peso entre os subíndices que compõem o IGP-M, registrou em dezembro taxa de 0,36%. No mês anterior, este índice variou 0,17%. Em 12 meses, o índice acelerou, de 6,09%, em 2015, para 6,35%, em 2016.

Comentários