Incêndio destrói 15% do Parque Indígena do Xingu em Mato Grosso

Incêndio no Parque Nacional do Xingu (Foto: Divulgação - Ibama)
Incêndio no Parque Nacional do Xingu (Foto: Divulgação – Ibama)

O enorme incêndio no Parque Indígena do Xingu, em Mato Grosso, que teve início em agosto, foi controlado nesse último domingo (25) por equipes do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente). As chamas destruíram 310 mil hectares da área, ou seja, cerca de 15% do território.

Mais de 100 pessoas participaram do combate ao fogo, incluindo 25 índios do Xingu e 10 da Terra Indígena Xerente, do Tocantins, além de brigadistas de Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Rondônia e Rio de Janeiro. As chamas foram controladas pelo Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais.

A incidência abaixo da média de chuva contribuiu para o aumento das diversas frentes de incêndio que atingiram o parque. A condição climática fez com que o fogo se propagasse com mais intensidade em áreas onde normalmente a umidade da vegetação impediria o avanço do incêndio, disse o Ibama.

A operação do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais foi inicialmente planejada para evitar grandes incêndios florestais no período do Kuarup, ritual tradicional ritual de homenagem aos mortos ilustres feito pelas etnias do Alto Xingu, mas foi prorrogada devido ao incêndio no parque.

O Parque Indígena do Xingu foi criado em 1961, tem 26 mil quilômetros quadrados e abriga 16 povos indígenas.

Comentários

comentários