Incêndio atinge armazéns com votos das eleições do Iraque

Agência EFE

Um incêndio atingiu hoje (10) vários armazéns onde estão guardadas urnas com os votos das eleições parlamentares do Iraque, realizadas no dia 12 de maio. O sinistro ocorreu antes do início da apuração ordenada pelo parlamento, segundo informou à Agência EFE uma fonte do Ministério do Interior.

O fogo, que não teve a origem revelada e ainda continua, ocorreu pouco depois do meio-dia em um complexo situado no bairro de Al Kilani, no centro de Bagdá, de acordo com uma fonte que pediu o anonimato.

Três dos seis edifícios do complexo nos quais são armazenadas as cédulas de votação, assim como os dispositivos eletrônicos para a apuração, ficaram totalmente queimados, segundo a fonte. As equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil estão no local para tentar controlar o fogo.

O incêndio ocorre após o Parlamento iraquiano ter ordenado a apuração de forma manual dos votos em todos os centros eleitorais devido a suspeitas de fraude e falsificação durante o pleito, já que, pela primeira vez no país, as cédulas de votação foram contadas de forma eletrônica.

Acusações de fraude

O Conselho Supremo de Justiça iraquiana anunciou hoje os nomes dos juízes encarregados da apuração dos votos, assumindo o papel da comissão eleitoral, o órgão supervisor do pleito, suspenso após as acusações de fraude.

Os resultados deram a vitória à coalizão Sairun, integrada pelo movimento do clérigo xiita Moqtada al Sadr e pelo Partido Comunista iraquiano, que ocupará 54 cadeiras no novo parlamento.

O primeiro-ministro interino, Haider al Abadi, – cuja coalizão ficou surpreendentemente em terceiro lugar – afirmou em 5 de junho que houve “graves violações” nas eleições após as denúncias apresentadas. Com base nessas denúncias, a comissão anulou até o momento os resultados de 1.021 urnas em diversos centros eleitorais.

Comentários