Imprensa internacional destaca violência contra estrangeiros e locais no Rio, sede das Olimpíadas de 2016

Matéria de capa do Wall Street Journal sobre a violência cometida contra a chilena Isidora Carmona na sede das Olimpíadas de 2016 – (Reprodução/Internet)

A violência sofrida pela chilena Isidora Ribas Carmona, de 32 anos, que sofreu um corte no pescoço e teve um tablet roubado no bairro da Glória, Zona Sul do Rio de Janeiro, na manhã da sexta-feira (22), repercutiu na imprensa internacional. Órgãos de imprensa internacionais destacaram que esse tipo de violência ocorre com frequência nas proximidades dos locais em que serão realizadas as competições dos Jogos Olímpicos de 2016. Isidora, que mudou-se com a família para o Rio há apenas dois meses, para estudar, foi atacada quando estava na Praça Paris, levando o cachorro para passear enquanto ela andava de bicicleta. Apesar de ferida no pescoço, a vítima passou toda a tarde de sexta-feira na Delegacia Especial de Apoio ao Turista (Deat), no Leblon, também Zona Sul, direcionando a confecção do retrato falado do bandido.

O “The Wall Street Journal” também noticiou a explosão da violência a facadas no Rio após a morte do médico, e destacou que “a violência coincide com o recuo na antes florescente economia do Brasil, o que, segundo especialista, resultou ao mesmo tempo em cortes no orçamento da polícia e na redução de oportunidades de trabalho para jovens em situação de risco”.

A agência de notícias norte-americana Associated Press relatou que a polícia do Rio estaria reforçando o patrulhamento nas áreas de turismo e de provas das Olimpíadas “depois de da série de ataques a faca”. A Agência France Presse sentenciou que “a série de ataques a faca no Rio põe a Cidade Olímpica em xeque” e lembrou a morte de médico Jaime Gold, morto à golpe de faca na Lagoa Rodrigo de Freitas por bandidos que levaram uma bicicleta e a carteira da vítima.

Notícia sobre a chilena Isidora Carmona, no site do Jornal La Tercera – (Reprodução/Internet)

A repercussão internacional começou logo depois que os veículos de comunicação do país de origem da vítima – o jornal La Tercera e o site do noticiário T13, do Canal 13, da televisão chilena – anunciaram a violência sofrida pela chilena.

Notícia sobre a chilena Isidora Ribas Carmona, no site chileno T13 – (Reprodução/Internet)

Os veículos também  expuseram a série de episódios de agressões com facas nas proximidades de instalações onde acontecerão provas dos Jogos Olímpicos de 2016 e na região da Lagoa Rodrigo de Freitas, onde haverá competições de canoagem e lembraram que “nos primeiros quatro meses do ano, foram atendidas 167 vítimas de ferimentos por arma branca nos hospitais do Rio”.

Silvio Ferreira, com informações Globo.com

Comentários

comentários