“Impossível aceitar número mortes no trânsito hoje no Brasil”, diz diretor do Detran

Guerra no Trânsito – Em entrevista ao programa Tribuna Livre, da Capital FM, e ao portal Página Brazil, o diretor-presidente do Detran-MS, Gerson Claro, falou da verdadeira guerra que ocorre no trânsito brasileiro todo ano. De acordo com Claro, uma das principais frentes de trabalho do Detran/MS é “a redução de acidentes de trânsito, com medidas como convênios de sinalização vertical e horizontal com os municípios; em parceria com a Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), sinalização nas rodovias; parcerias com as organizações sociais, para tentarmos reduzir o número de acidentes, porque é impossível aceitar o número de acidentes de trânsito que temos hoje no Brasil.”

DSC_0002
Gerson Claro durante entrevista ao programa Tribuna Livre Foto Silvio Ferreira

Segundo o diretor-presidente do Detran/MS, em 2014 foram mais 41 mil pessoas que perderam suas vidas e famílias que ficaram com problemas em virtude de acidentes de trânsito [no Brasil]. Em 2015 já ultrapassamos 45 mil. Nós teremos uma conferência global no final do ano em Brasília, em que a Organização Mundial de Saúde (OMS), vai trazer os números mundiais: mais de 1,25 milhão de pessoas que morrem no mundo em trânsito”.

“Às vezes, a implementação da política de educação, de engenharia e de inteligência não resolve e é preciso o sistema de fiscalização, ai vem a questão de multa. O maior problema do Brasil ainda é o excesso de velocidade; a questão da bebida alcoólica; no caso do motociclista, o capacete; a desatenção [dos condutores] de veículos; as condições da frota, pneus carecas e uma série de outras coisas que levam à acidentes”, concluiu.

Digitalização e redução de custos – Outra frente de trabalho da Detran/MS, segundo Claro, tem sido  a diminuição de despesas, determinada pelo governador Reinaldo Azambuja, que incluiu o cancelamento de alguns contratos, a redução do custo de emissão de CNH (Carteira Nacional de Habilitação) para o Detran, para que pudéssemos melhor o atendimento também.”

De acordo com o diretor do Detran/MS, “encontramos unidades do interior do estado com uma infraestrutura inadequada, que não estavam preparadas para atender toda a demanda que para o novo sistema de vistoria que foi adotado no estado. Com a autorização do governador tivemos a posse a mais de 130 servidores e ainda precisamos de outros 100 servidores para atender melhor à população. Já fizemos visita técnica em mais de 70% das agências do Interior e nós precisamos melhorar o atendimento, reduzindo o tempo de espera, e vamos perseguir à meta de no máximo de 15 minutos de espera para o atendimento do cidadão; a informatização das unidades e adoção de sistemas em totens [de auto-atendimento], melhoria de atendimento do servidor”, relacionou.

Para Claro, “a grande mudança que estamos trabalhando é a questão da virtualização dos processos, junto com a virtualização, junto com os despachantes e o Centros de Formação de Condutores (CFCs) estamos digitalizando o processo. A ideia é usarmos a menor quantidade de papel possível, nos processos de emissão de CNH (primeira e segunda via), nosso CRV [Certificado de Registro de Veículo], o licencimento, o processo de penalidade, de habilitação, estamos trabalhando para podermos fazê-los 100% virtual, dentro do que permite a legislação, para que a gente possa melhorar o atendimento ao cidadão”.

Silvio Ferreira

 

Comentários

comentários