Simone vai para disputa interna visando presidência do Senado: ‘Enfrentar Renan dentro da bancada’

Michael Franco

Senadora Simone Tebet durante processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, no Senado.(Wilson Dias/Agência Brasil)

A senadora por Mato Grosso do Sul, Simone Tebet (MDB) concedeu entrevista ao programa Tribuna Livre da rádio Capital 95 FM, nesta quarta-feira (23). O nome da parlamentar veio à tona durante a manhã de ontem (22), pois foi confirmada oficialmente sua pré-candidatura à presidência do Senado Federal. A primeira disputa que a ex-prefeita de Três Lagoas vai travar é interna, contra o colega de partido Renan Calheiros, que não tem apreço de todos os emedebistas.

“Agora é oficial. Vou enfrentar Renan Calheiros dentro da minha bancada que está muito dividida, mas também tem consciência do papel e da importância do MDB para a história do país num momento tão importante como esse. Renan não tem mais unanimidade”.

A candidatura de Simone Tebet vem sendo ventilada há muito tempo, mas só foi oficializada neste terça-feira, após uma conversa dela com o próprio Renan Calheiros. A senadora explicou que o diálogo teve um caráter ético. “Eu precisava, como líder de bancada, ter uma conversa com ele para comunicar a ele que também sou candidata pelo partido. Falei com ele por telefone, ele entendeu o processo e vamos tocar em frente. Ele buscando os votos e eu também e no dia 29 começaremos a tratativas”.

Calheiros por sua vez publicou no Twitter que não deseja ser presidente da Casa e reforçou que o nome de Simone robustece o processo decisório, e consolidará ainda mais a união da bancada emedebista.

No entanto a senadora por MS desmentiu a jogada do adversário. “Ele me falou ontem por telefone que ele é [candidato]. Não tem como acreditar que ele não seja.

Apoio

Sem revelar nomes, Simone Tebet contou que tem apoio de outros quatro parlamentares da legenda totalizando cinco prováveis votos, levando em conta a própria senadora. O MDB possui a maior bancada do Senado com 12 cadeiras e a Sul-Mato-Grossense fez questão de ressaltar o prestígio dos colegas. “Eu não coloquei minha candidatura sozinha, fui estimulada por alguns companheiros e então a principio eu já tenho alguns votos dentro da bancada. Vou começar a pedir votos para os demais a partir de hoje. Sabemos que Renan tem rejeição dentro e fora da bancada, a eleição dele é muito difícil até pelas forças populares”.

Segundo a senadora, a reprovação de Calheiros entre os parlamentares da Casa é tão alta que os também pré-candidatos Tasso Jereissati (PSDB-MG) e Major Olimpo (PSL-SP) já garantiram a ela que caso Renan não seja candidato, existe a chance da desistência deles e apoio dos partidos à Simone. “Se o MDB homologar realmente o meu nome haveria possibilidade de um acordo e apoio com a bancada do PSDB e do PSL”.

Se nada der certo…

Simone também já estuda a alternativa de lançar candidatura avulsa. Caso a bancada do MDB escolha Renan Calheiros para representar a legenda na eleição. “Eu posso sim ser candidata avulsa, tenho coragem para isso”. Ela completou ainda que dependendo das articulações, pode, mesmo como candidata avulsa, continuar com o apoio de outros partidos.

Por fim, Simone Tebet disse o que espera do senado na nova legislatura. Para ela, a independência e compreensão social devem ser os aspectos norteadores. “O melhor é um Senado independente, moderado, equilibrado e que tenha a capacidade de entender que hoje as pessoas estão com medo”.

Veja a entrevista completa:

TRIBUNA LIVRE – 23/01/2019

Posted by Capital 95 FM on Wednesday, January 23, 2019

 

Comentários