“II Feira Mãos Arteiras” abre espaço para diversidade do artesanatos sul-mato-grossenses

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Como parte da programação da Semana do Artesão, foi inaugurada na última quarta-feira (16), na sede da Ferrovia de Campo Grande, a II Feira de Artesanato Mãos Arteiras, com homenagens e uma diversidade de artesanatos expostos para comercialização, produzidos em grande parte, com matérias primas locais pelo povo sul-mato-grossense. A exposição ficará aberta ao público até o dia 20, domingo, das 14h às 22h.

A Semana é realizada pela Fundação de Cultura do Mato Grosso do Sul (FCMS), Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei) e associações da categoria, em parceira com o Sebrae e a Fundac (Fundação Municipal de Cultura). A abertura da Feira contou com a música de Aurélio Miranda e sua viola, cantando clássicos como Chalana e Mercedita.

Representando sua classe, a artesã Helena Rondon, reforçou a importância dos órgãos públicos no incentivo e apoio aos artesãos do Estado. “Essa semana que comemoramos é um grande marco para todos nós artesãos, que vivemos do nosso trabalho manual feito no dia a dia. É muito importante o apoio de autoridades e órgãos competentes que possam abrir os caminhos para nós. Com caminhos abertos somados a nossa capacidade, tenho certeza que podemos ir longe”, agradeceu Helena, que é presidente da Associação dos Artesãos da Praça dos Imigrantes (API).

Depois de homenagear o núcleo de artesanato da FCMS, Andréa Freire, secretária adjunta da Secretaria de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei) respondeu ao agradecimento de Helena afirmando a necessidade de sociedade e governo caminharem unidos. “Vamos participar de todas as atividades da Semana do Artesão. Temos que colocar sempre na agenda da sociedade essa força que a cultura popular tem, de gente que olha no olho e diz o que pensa, que tem brilho interior. Contem sempre com a Fundação de Cultura do Estado e a Sectei para que cada vez mais possamos abrir estes espaços, e vocês sejam homenageadas, divulgando e comercializando seus trabalhos”, elogiou Andréa.

Durante a Feira, o público poderá prestigiar trabalhos feitos por artesãos de alguns municípios do Mato Grosso do Sul como Naviraí, Caarapó, Rio Verde, Corumbá, Sidrolândia e Bodoquena. Natural de Caarapó, a artesã Josefa Marques Mazaral, de 60 anos, trabalha apenas com lã de carneiro. Dela, faz acolchoados, baixeiros, mantas, cobertas e outras dezenas de peças feitas com o mesmo material. “Com a lã trabalho há 18 anos, mas foi de poucos anos para cá que passei a sobreviver apenas com o lucro do meu artesanato. Sinto-me privilegiada por estar aqui expondo na Capital, aqui faço contato gente do Estado todo e divulgo meu trabalho”, revela Josefa.

Saindo da experiência ao início de aprendizado, o desenhista Lucas de Souza Vilhalba, de apenas 17 anos, também é um dos expositores na II Feira de Artesanato Mãos Arteiras. Ele conta que começou aos 13 anos e desde então vem aperfeiçoando sua técnica. “Comecei há apenas quatro anos a desenhar. No início fazia desenhos simples como esses de desenhos animados. Depois fui aperfeiçoando até chegar ao realismo. Agora meu objetivo é chegar ao hiper-realismo, quero fazer uma arte idêntica a uma fotografia”, contou Lucas.

A “Semana do Artesão” acontece de 15 a 20 de março. No dia 15/03 às 19h, “Noite do Cultural do Artesão” no Armazém Cultural na avenida Calógeras, 3110. Já a II Feira de Artesanato Mãos Arteiras terá sua abertura no dia 16/03 (quarta-feira) a partir das 19 horas, ficando exposta ao público até o dia 20/03, das 14 às 22 horas, na sede da Ferrovia de Campo Grande. E no dia 19/03, às 9h, um delicioso Café da Manhã na Praça dos Imigrantes.

Comentários

comentários