Idoso de 85 anos morre depois de passar mal e esperar ambulância por 7 horas

Neta do idoso desabafou pelo Facebook. (Foto: Reprodução/ Facebook)
Neta do idoso desabafou pelo Facebook. (Foto: Reprodução/ Facebook)

Libertino Luiz de Moura de 85 anos, morreu ao sofrer uma parada cardíaca, depois de esperar por sete horas por uma ambulância, para que fosse transferido da Unidade Básica de Saúde do

bairro Aero Rancho para o Hospital Universitário, neste domingo (25). Segundo a família, Libertino foi “Mais uma vítima da falta de estrutura na saúde de Campo Grande”.

De acordo com o fotógrafo David Mantovani, 30 anos, neto da vítima, Libertino começou a passar mal ainda de manhã, em casa, quando a família recebeu o primeiro “não” de um atendente do Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência).

“Ligamos e a pessoa que atendeu ficou conversando por cerca de 20 minutos, até dizer que não tinha ambulância para enviar, que estavam todas ocupadas com coisas mais graves, coisas mais graves?”, questiona o rapaz.

Ainda conforme Mantovani, diante da gravidade do estado de saúde do idoso, a família decidiu chamar um táxi para levá-lo até a UBS do Aero Rancho.

Na unidade, Libertino já chegou desmaiado, mas foi reanimado pelo médico que estava de plantão por duas vezes. O mesmo médico, segundo a família, disse que o idoso precisava ser transferido para o HU, por conta da gravidade da situação, mas que não estava conseguindo uma ambulância. “Ele era forte, mas já tinha histórico de infarto. O médico disse que se ele tivesse sido transferido antes, não teria morrido”, acredita o fotógrafo.

A prefeitura de Campo Grande ainda não se posicionou sobre o caso. O neto da vítima descreve a sensação de depender da saúde pública “A gente se sente impotente, porque vê secretário de saúde e prefeito falar que foi investido dinheiro na saúde e uma coisa tão simples, que poderia ter salvo a vida de uma pessoa não ser feita, é um descaso total”, considera.

Pelo Facebook, a esposa de David e neta de Libertino, também lamentou e desabafou sobre a morte do idoso: “Até quando vamos sofrer com tanta falta de vergonha na cara e despreparo de nossos governantes. Dessa vez não foi falta de médico e nem vaga em hospital, foi por FALTA DE AMBULÂNCIA DO SAMU para transferir o paciente há um hospital…. Hoje foi comigo, amanhã pode ser com você , pagante de impostos e a mercê de representantes corruptos que só enxergam o próprio umbigo!”, escreveu.

 

Comentários

comentários