Homem teria sido morto após acusar autor de ser estuprador

Da Redação/JN

Arrisson Nunes Rodrigues (18) e Diana Nunes Ribeiro (20), acusados confessos do assassinato do indígena Givanildo Davilan (37) durante a madrugada deste sábado (7). Segundo o site Dourados News eles contaram que teriam cometido o crime após a vítima acusar o rapaz de ser estuprador.

Moradores da comunidade afirmaram que o casal seria alcoólatra e usuário de drogas – Crédito: Osvaldo Duarte

De acordo com moradores da comunidade, o casal é alcoólatra e usuário de drogas. Eles teriam passado o dia de ontem consumindo bebida e entorpecente. Em determinado momento, Arrisson passou a ter um surto e começou a ameaçar todos os moradores do local.

Ele ainda teria colocado fogo na própria casa.

MORTE

Horas mais tarde, durante a madrugada, Arrison se deslocou até a casa da vítima e bateu palma chamando por Givanildo. A esposa dele, Rosana Lopes, saiu para atender e foi agredida com golpe de facão na cabeça.

Logo depois, Givanildo saiu da residência e passou a ser agredido por Arrisson. Ele ainda tentou fugir, mas acabou caindo no chão, sendo capturado pelo autor. Neste momento, Arrisson teria mandado Diana concluir o assassinato do indígena.

Na delegacia, Diana afirmou ao repórter do Dourados News que estaria arrependida pois a vítima teria sido casada com a mãe dela. Arrisson afirmou não ter arrependimento pois Givanildo vinha o acusado de ser estuprador.

O casal foi levado para o 1° Distrito Policial de Dourados.

Comentários