Homem que ganhou primeiro pênis transplantado será pai, diz médico

Seis meses depois de realizar o primeiro transplante de pênis do mundo, ocorrido na África do Sul, o médico urologista Andre van der Merwe anunciou nesta quinta-feira (11) que o paciente, de 21 anos, que recebeu o órgão vai ser pai.

Cirurgiões são vistos durante cirurgia de transplante de pênis realizada em dezembro na África do Sul Foto: Divulgação/Stellenbosch University
Cirurgiões são vistos durante cirurgia de transplante de pênis realizada em dezembro na África do Sul Foto: Divulgação/Stellenbosch University

Segundo o site sul-africano “News 24”, a informação foi divulgada pelo especialista em palestra proferida nesta quinta, em Stellenbosch, sede da Universidade de Stellenbosch – onde a pesquisa foi conduzida em parceria com o Hospital Tygerberg, da Cidade do Cabo.

Merwe confirmou à publicação que a gravidez confirma o sucesso da cirurgia. “O órgão está funcionando”, disse ele. O paciente, que teve o pênis amputado após problema em um ritual de circuncisão, continuará a ser monitorado por mais um tempo. É possível que ele passe por uma nova cirurgia em meados de agosto.

Entenda o procedimento

O transplante de nove horas de duração, que aconteceu em dezembro dso ano passado, foi parte de um estudo para ajudar homens que perdem seus pênis em rituais de circuncisão mal-feitos todos os anos.

A cirurgia só foi divulgada em março, meses após sua realização, depois que os médicos verificaram que o paciente se recuperava bem.

O homem teve recuperação total do órgão, disseram os médicos, adicionando que o procedimento eventualmente pode ser ampliado a quem perdeu o pênis devido ao câncer ou como última alternativa para problemas de disfunção erétil.

Achar um doador de órgão foi um dos maiores desafios para o estudo, disse a universidade em nota. O órgão usado na cirurgia inédita veio de um doador morto.

Ainda segundo a equipe de especialistas, outros nove pacientes receberiam transplantes penianos como parte da pesquisa. As datas desses procedimentos não foram divulgadas.

G1

Comentários

comentários