Homem morre após grave reação alérgica a medicamento em Campo Grande

Um homem de morreu após várias crises alérgicas em reação a um medicamento prescrito por um médico, para tratar um inchaço na região genital. Antônio dos Santos Gomes (48) espremeu uma espinha na bolsa escrotal e após bater a parte dos testículos ao passar de moto por um buraco, a região inchou. O homem morreu na noite desta segunda-feira (23) na Santa Casa de Campo Grande.

Santa Casa de Campo Grande (Foto: Divulgação )

De acordo com informações do boletim de ocorrência, a esposa de Antônio Gomes relatou que na terça-feira da semana passada, dia 17/01, a vítima já havia espremido a espinha na região genital e quando voltava para casa passou por um buraco, fazendo a moto quase ir ao solo. Com a rápida perda de controle da moto, o homem acabou batendo a região da espinha espremida.

Ao chegar em casa, Antônio Gomes notou que a área de suas genitais estava inchada e se dirigiu para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Bairro Universitário e lá foi encaminhado para o Hospital Universitário. O homem foi internado e foi submetido a exames e avaliação médica e na sexta-feira, dia 20/01, recebeu alta. O médico responsável pelo paciente receitou um medicamento para a continuidade do tratamento.

No sábado, dia 21/01, a esposa do paciente comprou a medicação e após o marido tomar o medicamento passou a ter reações alérgicas, alegando não conseguir respirar, com o corpo vermelho e ‘pipocado’ por manchas. Na noite do mesmo dia, o homem foi levado para a UPA Universitário, onde tomo soro e respirou com ajuda de um balão de oxigênio. Às 11h do dia seguinte, 22/01, Antônio Gomes recebeu alta, no entanto, a família alega que o homem não estava bem, ele ainda sentia dores, coceiras e o inchaço continuava.

Antônio Gomes saiu da UPA e foi para casa de sua irmã, que ao ver a situação do homem acionou o SAMU. Os socorristas encaminharam o paciente para a UPA Universitário mais uma vez onde foi medicado com dipirona na veia e encaminhado a Santa Casa. Ele deu entrada por volta das 19h30 do domingo, 22/01.

Às 20h35 da segunda-feira (23), Antônio teve uma parada cardiorrespiratória e morreu. Na Santa Casa foi constatada a alergia ao medicamento. O caso foi registrado na Depac – Centro como morte a esclarecer.

Comentários