Hidrovia Tietê-Paraná está próxima de ser liberada

A Marinha do Brasil, por intermédio da Capitania Fluvial do Tietê-Paraná, liberou o primeiro trecho de navegação da hidrovia após quase dois anos de interdição em função dos baixos níveis das águas. A liberação é o primeiro passo para a completa abertura da hidrovia a navegação até o fim de fevereiro.

Hidrovia passa por seis estados, entre eles, MS
Hidrovia passa por seis estados, entre eles, MS

As informações sobre os níveis dos reservatórios divulgadas pelo Operador do Nacional Sistema Elétrico (ONS) e pelo Departamento Hidroviário (DH) da Secretaria de Logística e Transportes do Governo do Estado de São Paulo foram decisivas para a liberação do trecho do Rio Tietê entre o Km 99,5, do reservatório da Usina Hidrelétrica de Três Irmãos e a eclusa inferior de Nova Avanhandava, no Município de Buritama (SP), a partir das 10 horas do dia 27 de janeiro (quarta-feira).

Com 2.400 quilômetros de extensão, a hidrovia atende diretamente os estados de São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás. A interdição dos trechos – tanto no Rio Paraná quanto no Tietê – ocorreu em função da estiagem dos últimos dois anos e pelo uso prioritário da água para a geração de energia elétrica.

Tendo em vista a iminente desinterdição do trecho, foi realizada no dia 21 de janeiro, na sede da Capitania Fluvial do Tietê-Paraná, em Barra Bonita (SP) uma reunião que contou com a participação de diversos representantes onde foram abordados aspectos relevantes para a segurança da navegação, salvaguarda da vida humana e prevenção da poluição hídrica, com ênfase para a importância do cumprimento do preconizado nas Normas da Autoridade Marítima.

Comentários

comentários