Habeas corpus de Jamil Name e filho serão julgados pelo desembargador Sideni Pimentel

A defesa entrou na noite de sexta-feira (dia 27) com pedidos de habeas corpus no TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) para libertar os empresários Jamil Name, 80 anos, e Jamil Name Filho. Os dois foram presos na manhã de ontem na operação Omertà.

O desembargador Sideni Soncini Pimentel, que está no plantão do Tribunal de Justiça, já recebeu o pedido de habeas corpus dos empresários. O pedido foi protocolado na noite de ontem, pelo advogado Renê Siufi.

Desembargador Sideni Soncini Pimentel

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), fizeram apelação semelhante em favor do advogado Sérgio Franzoloso, e Pimentel teria prometido analisar esse caso ainda neste sábado, por se tratar de um advogado.

Segundo a decisão que ordenou as prisões, pai e filho são líderes de grupo de extermínio que atua em Campo Grande. “Constou ainda, que este verdadeiro grupo de extermínio, liderado pelos representados Jamil Name e Jamil Name Filho, é extremamente organizado e aparelhado, contando para tanto com agentes treinados, muitos dos quais integram as forças de segurança do Estado (da ativa e aposentados), que praticam os homicídios qualificados por meio de planos elaborados, os quais são executados de maneira meticulosa e detalhada, visando sempre a impunidade e a demonstração de força e intimidação por parte de tal organização criminosa”.

Ainda conforme a decisão do juiz Marcelo Ivo de Oliveira, da 7ª Vara Criminal de Competência Especial, os dois são os verdadeiros donos do arsenal apreendido em 19 de maio com o então guarda municipal Marcelo Rios.

O arsenal tinha o mesmo modelo de fuzil usado em três execuções. As vítimas foram Ilson Martins de Figueiredo (policial militar reformado e então chefe da segurança da Assembleia Legislativa), Orlando da Silva Fernandes (ex-segurança do narcotraficante Jorge Rafaat) e o universitário Matheus Coutinho Xavier (a suspeita é de que o alvo fosse seu pai, um policial militar reformado).

Comentários