Guia traz orientações para casos de ingestão de produtos tóxicos

Recentemente, a A Sociedade Brasileira de Pediatria lançou o Guia Prático de Atualização sobre o tema “Intoxicações agudas por medicamentos de uso comum em pediatria“.

O guia foi encaminhado aos pediatras brasileiros sobre possíveis danos físicos provocados pela ingestão de remédios e outros produtos. Há recomendações sobre limites de dosagem, mecanismos de ação tóxica, evolução do quadro clínico, procedimentos diagnósticos e opções de tratamento.

O presidente do Departamento Científico de Toxicologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Carlos Augusto Mello da Silva, que coordenou a elaboração do guia, adverte que os incidentes ocorrem, na maioria dos casos, em ambientes domésticos.

“ A criança pega o remédio dos pais ou o dela mesmo, que foi deixado ao alcance da mão, e toma em uma quantidade muito acima da prescrita pelo médico. Ela toma meio vidro ou então engole vários comprimidos coloridos da cartela. O pico no mundo todo é em crianças na faixa etária pré-escolar.”

De acordo com o especialista, os acidentes podem ser evitados. “Os adultos devem estabelecer algumas precauções para evitar que situações adversas se concretizem. A principal delas é sempre armazenar fármacos e produtos de limpeza sempre nos locais mais elevados, de preferência em armário com chave.”

No caso dos adolescentes, o problemas são outros, automedicação e dosagens inadequadas. Como adolescentes têm o comportamento mais próximo ao adulto, ocorrem confusões. “ Por ter mais autonomia, ao invés de tomar um comprimido, por conta própria, toma uma quantidade maior. No entanto, a faixa etária que realmente preocupa é a pré-escolar, que são intoxicações acidentais.”

Comentários