Guerra ao Mosquito inicia conscientização da população de mais 7 bairros

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A Campanha Guerra ao Mosquito Aedes aegypti, uma iniciativa realizada pela Fiems e Sesi com o apoio da TV Morena e DGPC (Delegacia Geral da Polícia Civil) para disseminar informações de conscientização da população de Campo Grande sobre as formas de combate ao vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus, iniciou, nesta segunda-feira (01/02), os trabalhos nos bairros Nova Lima, Coronel Antonino, Monte Castelo, Mata do Segredo, Seminário, Vila Nasser e José Abrão.

Trata-se da última semana da Campanha, que termina na próxima sexta-feira (05/02) e começou no dia 21 de dezembro do ano passado, totalizando até agora 104.854 domicílios, 403.951 pessoas e 6.553 empresas em várias regiões de Campo Grande. Até agora as equipes já percorreram os bairros Noroeste, Veraneio, Panorama, Maria Aparecida Pedrossian, Oiti, Estrela Dalva, Novos Estados, Vila Nascente, Vila Jacy, Taquarussu, Guanandi, Caiçara, Oliveira I, II e III, Bom Jardim, União, Portal Caiobá, Coophavilla, Tarumã, Batistão, Rancho Alegre, Tijuca, Nhá-Nhá, Marcos Roberto, Piratininga e Vila Carvalho.

Para o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, o indicador é positivo e demonstra o empenho das equipes em realizar o trabalho, que segue dentro do cronograma. “O desemprenho das equipes está sendo fundamental para conseguirmos bons resultados, sem dúvida este é um grande e importante diferencial, principalmente quando estamos caminhando por uma região mais populosa”, declarou, acrescentando que a Guerra ao Mosquito conta com uma unidade móvel do Sesi, seis automóveis, um carro de som e 30 agentes contratados, promovendo caminhada com panfletagem e realização de visitas domiciliares.

População

Para a secretária Rejane Barbosa Gomes, 40 anos, moradora do Jardim das Cerejeiras, a campanha é de extrema importância para alertar a população. “Toda forma de conscientização é bem-vinda, pois os moradores ainda deixam água parada, então é preciso mesmo se conscientizar”, disse.

A aposentada Enedina Maroa de Jesus, 82 anos, também moradora do Bairro Jaridm das Cerejeiras, contou que nunca teve dengue e que fica atenta aos cuidados com o foco. “Essas orientações são fundamentais para lembrar do que é preciso fazer em casa”, afirmou.

Para a técnica de enfermagem Auxiliadora Neves Pereira, 26 anos, outra moradora do Jardim das Cerejeiras, é necessário que a população tenha mais responsabilidade. “Tem sempre que chamar a atenção do povo, porque cada um tem que fazer a sua parte”, falou.

Comentários

comentários