Guerra ao Aedes aegypti já visitou 81,9 mil residências de Campo Grande

Foto Divulgação
Foto Divulgação

As equipes da Campanha Guerra ao Mosquito Aedes aegypti, uma iniciativa realizada pela Fiems e Sesi com o apoio da TV Morena e DGPC (Delegacia Geral da Polícia Civil) para disseminar informações de conscientização da população de Campo Grande sobre as formas de combate ao vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus, já conseguiram atingir 81.957 domicílios, 318.310 pessoas e 5.615 empresas. Nesta segunda-feira (25/01), começaram os trabalhos nas residências e empresas na região dos bairros Dr. Albuquerque, Rita Vieira, Universitário, Pioneiros e Alves Pereira.

Até agora as equipes já percorreram os bairros Noroeste, Veraneio, Panorama, Maria Aparecida Pedrossian, Oiti, Estrela Dalva, Novos Estados, Vila Nascente, Vila Jacy, Taquarussu, Guanandi, Caiçara, Oliveira I, II e III, Bom Jardim, União, Portal Caiobá, Coophavilla, Tarumã, Batistão, Rancho Alegre, Tijuca, Nhá-Nhá, Marcos Roberto, Piratininga e Vila Carvalho. Para o superintendente do Sesi, Bergson Amarilla, o indicador é positivo e demonstra o empenho das equipes em realizar o trabalho, que segue dentro do cronograma. “O desemprenho das equipes está sendo fundamental para conseguirmos bons resultados, sem dúvida este é um grande e importante diferencial, principalmente quando estamos caminhando por uma região mais populosa”, declarou.

No período de 1 a 5 de fevereiro a campanha prossegue com as ações nos bairros Nova Lima, Coronel Antonino, Monte Castelo, Mato do Segredo, Seminário, Nasser e José Abrão. A Guerra ao Mosquito conta com uma unidade móvel do Sesi, seis automóveis, um carro de som e 30 agentes contratados, promovendo caminhada com panfletagem e realização de visitas domiciliares.

População

A comerciante Maria Aparecida da Silva, 31 anos, que mora no Jardim Campo Alto, contou que há cerca de cinco dias vem passando mal e acredita estar com dengue. “O terreno baldio aqui ao lado está uma sujeira só, mas o cuidado aqui em casa nós temos. Eu acredito que a conscientização reforça os cuidados que todo mundo deve ter”, falou.

Para a dona de casa Edna Ferreira de Souza, 60 anos, outra moradora do Jardim Campo Alto e que acaba de se curar da dengue, a campanha é importante para enfatizar que cada um precisa fazer a sua parte. “Há 15 dias eu estava com dengue e foi muito ruim. Por isso eu acredito que todo mundo tem que colaborar e cada vizinho cuidar do seu quintal”, pontuou.

A aposentada Edir Batista Lima, 67 anos, destacou que o trabalho de conscientização é importante. “Ninguém aqui em casa teve a doença, mas a gente sempre está cuidando. Aqui mantenho tudo limpo e sempre de olho para não deixar acumular água”, disse.

 Fiems

Comentários

comentários