Grupo Prata pode ser investigado por desvios no rio Mimoso em Bonito

Lúcio Borges

Foto: divulgação PMA

Após denúncia, a PMA-MS (Polícia Militar Ambiental de MS) investiga desvios irregulares no rio Mimoso, no município de Bonito, um dos mais naturais e turístico na região Leste de Mato Grosso do Sul. O então até considerado santuário ecológico, vem sofrendo constantes mudança e ou ataques, que recentemente este ano, até vieram a tona em visível e tristes imagens de águas sujas e turvas ante o que era de extrema cristalinidade/limpa/branca. O atual caso de possível crime ambiental, à principio, já é constatado por equipes da PMA, que estiveram nos últimos dias na área.

Agentes ambientais foram investigar os denunciados desvios irregulares dentro do Parque das Cachoeiras, a 300 KM de Campo Grande, que podem ter sido feito pela fazenda Estância Mimosa do grupo Prata. Na quinta-feira (11), de acordo com informações, os agentes da PMA, estiveram no local para fazer uma primeira análise e voltaram neste sábado (13) para investigar a situação dos desvios.

Conforme apurado a equipe fez uma análise preliminar há dois dias e já teriam desbloqueado alguns pontos para liberar o curso da água. E na manhã deste sábado os policiais estão apurando as possíveis irregularidades e possíveis autores da prática que pode ser configurada como crime ambiental.

A apuração na pratica da PMA, vem de denuncias públicas já realizadas no município e que também nesta sexta-feira (12), uma ação foi oficializada ou protocolada no MPE-MS (Ministério Público Estadual) pedindo a investigação dos desvios no curso do rio Mimoso no Parque das Cachoeiras.

Acusados e estragos já feitos

Segundo as denuncias, há informação de que funcionários da Fazenda Estância Mimosa estariam criando barreiras físicas no leito do rio para desviar o curso, aumentando o volume de água no lado da propriedade pertencente ao grupo Prata, causando a seca nas cachoeiras do parque.

Além disso, no local foram encontradas três valetas abertas nas rochas calcárias e barreiras com troncos de árvores que estariam prendendo os peixes do rio Mimoso, inclusive causando a morte de algumas espécies.

A denúncia aponta ainda, que o desvio no curso do rio estaria causando muitos danos ambientais no local. As valetas estão baixando o leito do rio e causando a morte dos animais, deixando também forte cheiro no local.

Sem posições

A reportagem tentou contato com o Parque das Cachoeiras por telefone, mas as ligações não foram atendidas. Já com a Estância Mimosa, não foi possível contato.

Comentários