Governador se licencia para ir à Bolívia conversar sobre a importação de gás natural

Lúcio Borges

O governador Reinaldo Azambuja (Foto: Chico Ribeiro )

O governador Reinaldo Azambuja se ausentará do Brasil nos próximos dias 4 a 6 de maio, mas por oficio do cargo, para sair do país, deve pedir autorização para AL-MS (Assembleia Legislativa de MS) para a ação. Assim, nesta terça-feira (2), foi aprovado sua ausência do Estado e da função de chefe do Executivo.

Os deputados aprovaram na votação de hoje o Projeto de Decreto Legislativo 05/2017, do Poder Executivo, que solicita autorização do Legislativo.

Segundo justificativa do projeto, o governador segue em missão oficial para as cidades bolivianas Tarija e Santa Cruz de La Sierra, “para tratar de assuntos referentes à importação de gás boliviano pelo Brasil”.

O Brasil importa gás natural da Bolívia há 17 anos, mas o contrato é feito por meio da Petrobras que compra e distribui o combustível entre seus clientes.

O contrato de importação entre a estatal e o país vizinho termina em 2019 e está em estudo a possibilidade de cada empresa negociar e comprar a quantidade do combustível que lhe interessa, diretamente com a Bolívia.

O governo de Mato Grosso do Sul tem enfrentado problemas na arrecadação de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço) devido a decisão recente da Petrobras de priorizar o uso do gás natural produzido aqui.

Durante sua ausência, a chefia do Poder Executivo será da vice-governadora, Rose Modesto (PSDB).

Comentários