Governador destaca esforços da colônia nipo brasileira durante visita de casal imperial japonês

O governador Reinaldo Azambuja, acompanhado da primeira dama, Fátima Azambuja, recebeu nessa segunda feira (2), o príncipe Akishino e a princesa Kiko, membros da família imperial japonesa, que estão no país para celebração dos 120 anos da amizade entre o Brasil e o Japão.

02visita

Em um encontro reservado logo no começo da tarde em um hotel da capital, o governador e sua esposa tiveram uma audiência com o casal imperial “Estamos muito felizes e honrados com sua presença, espero que tenham gostado de nosso estado e do Pantanal”, disse Reinaldo Azambuja ao príncipe.

Logo após a audiência, o Chefe do Executivo Estadual acompanhou a comitiva da família imperial a uma visita no Museu Dom Bosco, dentro do Parque das Nações Indígenas. O príncipe e sua esposa, conheceram cada espaço do local e foram acompanhados de perto pelo reitor da Universidade Católica Dom Bosco, Pe. Ricardo Carlos, e pelo coordenador geral do museu, Dirceu van Lonkhuijzen, que respondeu às indagações dos visitantes.

Uma grande festa foi montada pela colônia japonesa no clube de campo da ACNB (Associação Esportiva e Cultura Nipo Brasileira). “A visita do casal imperial é um marco memorativo na relação entre Brasil e Japão”, frisou Acelino Nakasato, presidente da entidade.

Durante sua fala, o príncipe Akishino destacou a história e as conquistas dos imigrantes japoneses em território sul-mato-grossense e também na construção de Campo Grande, e lembrou que desde 1988 não visitava o Brasil.

“Estou ciente de que a comunidade japonesa contribui imensamente para o desenvolvimento de Campo Grande (uma das mais antigas colônias do país), especialmente na construção da estrada de ferra, de São Paulo a Campo Grande”, afirmou o príncipe, lembrando também, durante seu discurso, de importantes contribuições da cultura japonesa no Estado, como o Sobá, criado por imigrantes de Okinawa e profundamente difundido na Capital morena.

Reinaldo Azambuja destacou o fato de que está é a primeira vez na história que Mato Grosso do Sul recebe um membro da família imperial japonesa, a mais antiga monarquia do mundo, e afirmou que o ilustre visitante é um homem preocupado com questões de sustentabilidade e meio ambiente.

“O príncipe (que visitou uma localidade pantaneira no sábado, 1) ficou impressionado com as belezas do nosso pantanal. Tivemos a oportunidade relatar, um pouco, o que é Mato Grosso do Sul e dizer o quanto foi importante a participação dos membros da colônia nipo brasileira na construção do nosso Estado”, finalizou o governador.

Comentários

comentários