Gestante morre vítima de dengue hemorrágica; 15ª morte em MS

Cristyane Ferreira, 20, morreu na madrugada desta sexta-feira (27) com suspeita de dengue hemorrágica. Residente em Coxim, ela estava grávida, passou mal e foi transferida em estado grave para o Hospital Universitário de Campo Grande. Exames apontaram sintomas de dengue hemorrágica.

Cristyane Ferreira foi transferida em estado grave para Campo Grande, mas não resistiu e morreu no Hospital Universitário (Foto: Reprodução Facebook)
Cristyane Ferreira foi transferida em estado grave para Campo Grande, mas não resistiu e morreu no Hospital Universitário (Foto: Reprodução Facebook)

Segundo informações do site Edição de Notícias, Cristyane deu entrada no Hospital Regional Álvaro Fontoura por volta das 10 horas do dia 26, vomitando muito e com infecção urinária. Ela foi submetida a alguns exames e encaminhada com “vaga zero”, que é quando a unidade hospitalar deve garantir atendimento ao paciente, mesmo em situações onde não existam leitos vagos, para a Capital.

Durante o trajeto, quando estava chegando em Rio Verde de Mato Grosso, a respiração e os batimentos cardíacos começaram a cair. O médico optou por retornar para Coxim, onde a jovem foi estabilizada, entubada e novamente encaminhada para Campo Grande, só que desta vez em uma UTI (Unidade de Terapia Intensiva) móvel.

A jovem deu entrada no Hospital Universitário de Campo Grande por volta das 20 horas e seu estado era considerado estável.

Os exames apontarem que Cristyane estava com as plaquetas baixas, e segundo a assessoria de imprensa do Hospital Universitário, foi confirmado que a jovem estava com dengue hemorrágica.

O corpo de Cristyane será velado na Pax e Funerária Coxim, a previsão é de que o velório tenha início no começa da tarde desta sexta-feira.

Dados do último boletim Epidemiológico, divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul), divulgados na semana passada, esta é a 15ª morte por dengue em Mato Grosso do Sul e a primeira em Coxim. O município é considerado de risco, já que apresenta 209 notificações.

Até agora já foram registradas três mortes em Dourados, duas mortes em Campo Grande, duas em Sonora. Em Corumbá, Juti, Itaporã, Paranhos, Três Lagoas, Maracaju e Miranda foram registradas uma morte cada.

Comentários

comentários