Galo cura ressaca da Libertadores com goleada sobre o Fluminense em Brasília

Foi o jogo de um time só. E o placar de 4 a 1 para o Atlético-MG sobre o Fluminense, neste domingo, no Mané Garrincha, em Brasília, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro, acabou sendo pequeno, pois o time de Belo Horizonte jogou e marcou seus gols, enquanto o Tricolor assistia. A impressão é que o duelo na capital federal era entre representantes de divisões bem distintas, tal a diferença em todos os sentidos que se viu em campo, principalmente na postura, tal a indiferença da equipe carioca. A partida deixou a impressão que o Galo não sentiu a queda na Libertadores e brigará pelo título, e que o Tricolor fará o possível para evitar o pior, caso não contrate reforços.

Atlético-MG x Fluminense (Foto:Francisco Stuckert/LANCE!Press)
Atlético-MG x Fluminense (Foto:Francisco Stuckert/LANCE!Press)

O Atlético foi absolutamente superior desde que a bola rolou. Tanto que logo aos seis minutos, após criar outras duas chances, Jemerson aparou de cabeça escanteio cobrado por Luan e abriu o placar. O Fluminense, com vários jogadores no meio-campo sem funções definidas, deixava espaços em excesso na defesa, e não ameaçava na frente. Assim, se o time de Minas chegava a todo momento na área adversária, com ótima movimentação de apoiadores e atacantes, restava ao do Rio impedir a tragédia. A única oportunidade do Tricolor ocorreu com meia hora, em bola cruzada por Giovani, que Fred não alcançou. Logo em seguida, Patric bateu falta e Jemerson voltou a acertar cabeçada, ampliando para 2 a 0.

No intervalo, numa tentativa de tornar a equipe carioca mais ofensiva, Ricardo Drubscky trocou Pierre e Gérson por respectivamente Magno Alves e Wagner. O problema é que não se viu mudança no aspecto tático, e o Atlético continuou mandando na partida, levando perigo a Diego Cavalieri todas as vezes que partia para a frente. Aos sete, Datolo chutou cruzado à esquerda e enfiou o terceiro gol alvinegro. O Fluminense ainda fez uma última tentativa de reagir, lançando Lucas Gomes no lugar de Vinícius. Com a vitória praticamente garantida, o Galo diminuiu o ritmo, e ofereceu mais espaço ao adversário, que passou a ter maior posse de bola, sem criar, porém, nada de útil.

Mas o Atlético prosseguiu com os contra-ataques, e num deles, aos 35, meteu 4 a 0, em quatro toques: de Victor para Pratto, e deste a Carlos, que rolou para Luan concluir completamente livre na pequena área. Aos 42, Leonardo Silva fez pênalti em Fred, que cobrou para diminuir o vexame carioca no Mané Garrincha. E vejam que o Atlético ainda teve pelo menos mais uma oportunidade evidente, o que mostrou, mais uma vez, como o Fluminense estava desligado.

Jemerson, inclusive pelos gols, Luan, Datolo e Pratto foram os destaques. Quanto ao Tricolor, nada que se pudesse aproveitar, incluindo os estreantes, Antônio Carlos e Magno Alves, que não viram a cor da bola.

FICHA TÉCNICA ATLÉTICO-MG 4 x 1 FLUMINENSE

Local: Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 17/05/2015, 16h
Árbitro: Anderson Daronco (Fifa/RS)
Assistentes: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Rafael da Silva Alves (RS)
Renda/Público: Não divulgados
Cartões amarelos: Carlos (ATL-MG) e Leonardo Silva (ATL-MG). Edson (FLU)
Cartão vermelho: Não houve.
GOLS: Jemerson 1-0 (6’/1ºT), Jemerson 2-0 (36’/1ºT), Dátolo 3-0 (7’/2ºT), Luan 4-0 (35’/2ºT) e Fred 4-1 (pênalti 43’/2ºT)

ATLÉTICO-MG: Victor, Patric, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca, Dátolo (Josué, 33’/2ºT) e Luan; Carlos (Maicosuel, 37’/2ºT), Thiago Ribeiro (Giovanni Augusto, 18’/2ºT) e Lucas Pratto. Técnico: Levir Culpi.

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Wellington Silva, Gum, Antonio Carlos e Giovanni; Edson, Pierre (Wagner, Intervalo), Jean, Gerson (Magno Alves, Intervalo) e Vinícius (Lucas Gomes, 20’/2ºT); Fred. Técnico: Ricardo Drubscky.

LANCEPRESS!

Comentários

comentários