Gaeco prende sete pela ‘Operação Tagi’ e outros pegos em flagrante de crimes

Lúcio Borges

Divulgação Gaeco

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) deflagrou em três municípios de Mato Grosso do Sul, na manha desta quinta-feira (18), a Operação Tagi, contra o trafico de drogas, como o Página Brazil noticiou. O resultado parcial divulgado, aponta que, após nove meses de investigação contra o crime, se cumpriu sete mandados de prisão preventiva e oito de busca e apreensão em Aral Moreira – a 364 km de Campo Grande. Durante a ação ainda foram presas outras pessoas, fora os mandados, que em flagrante foram pegas por posse de arma de fogo e outros delitos. Contudo, o Gaeco não divulgou quantas foram e quem eram esses detidos.

Os alvos dos mandados são investigados há nove meses pela denominada Operação Tagi, que apura existência de esquema de tráfico de drogas em Aral Moreira, Amambai e Dourados. A “TAGI” com a finalização na ação de hoje, pelas buscas e prisões, ratificou que identificaram a existência de associação criminosa com base em Aral Moreira, mas também que há ramificações ou integrantes em Dourados e Amambai, que  distribui maconha para todo o Brasil.

O Gaeco divulgou que outros resultados da investida policial ainda não foram contabilizados ou mesmo não podem ainda ser divulgado. Nomes e outros detalhes será divulgado posteriormente, em avaliação do Grupo do MPE-MS (Ministério Público Estadual). A operação  batizada de Tagi, é o nome de uma região situada na rodovia MS-386, entre Ponta Porã e Amambai, utilizada como uma das rotas de escoamento das drogas.

Os mandados foram cumpridos com apoio da 5ª promotoria de Dourados, do DOF (Departamento de Operações de Fronteiras), do 3º Batalhão de Polícia Militar, do 3º CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar) e da Agência de Inteligência da PM de Dourados.

Os mandados foram expedidos pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Dourados.

Comentários