Gaeco faz operação na Câmara investigada por farra com diárias

A ação desencadeada na manhã desta quarta-feira (24) pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) em Rio Brilhante pode estar ligado a uma investigação existente desde o ano passado relacionado aos gastos com diárias no local.

Veículo do Gaeco estacionado em frente a Câmara de rio Brilhante - Maykon Brites/Rio Brilhante em Tempo Real
Veículo do Gaeco estacionado em frente a Câmara de rio Brilhante – Maykon Brites/Rio Brilhante em Tempo Real

O inquérito civil foi instaurado após denúncia anônima à ouvidoria do órgão, feita pela internet. A investigação começou apurar suspeita de irregularidades nos anos de 2013 e 2014, período em que o local teve como presidente o vereador Dejair Gomes (Pros), o Totinha.

Segundo o MPE (Ministério Público Estadual), a verificação inicial nos documentos contábeis apontava falta de comprovação de despesas com hospedagem e “lançamentos questionáveis” nos relatórios de viagens.

O Ministério Público apura irregularidades durante a gestão de Dejair Gomes, o Totinha, como presidente da Câmara. O problema com os pagamentos indevidos teria ultrapassado a gestão e também seria articulado pelo atual presidente, Sérgio Carlos Martins Rigo. Ambos também teriam negociado a eleição da mesa diretora da Casa.

Comentários

comentários