Gaeco deflagra operação em prefeitura do interior

O advogado da Prefeitura de Batayporã – a 306 quilômetros de Campo Grande, Wilson Fernandes Sena Júnior, afirmou que a licitação que culminou com a ação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) nesta manhã é de 2017 e está relacionada à compra de material esportivo.

Viatura do Gaeco na frente da Prefeitura de Batayporã / Imagens: Jornal da Nova

Segundo o Jornal da Nova, além da Prefeitura, foram cumpridos mandados de busca na casa de servidores residentes em Batayporã e Nova Andradina, sendo eles identificados, até o momento, como: Dilmo Teixera, Bruno da Licitação (em Nova Andradina), Júnior do Sport e Compras, Ricardo Vieira dos Santos.

A princípio, a ação visa apenas a obtenção de documentos para compor a investigação. Ninguém foi preso.

A operação teve início às 6h desta terça-feira (30), na sede da Prefeitura Municipal, logo quando chegava os primeiros funcionários, que foram sendo dispensados devido as ordens judiciais a serem cumpridas.

O MPE (Ministério Público Estadual) deve emitir uma nota nas próximas horas para esclarecer os motivos da ação na Prefeitura.

Comentários