Fundação do Trabalho atende cerca de 500 pessoas por dia e oferece centenas de vagas para cursos gratuitos

Da Redação/JP

A Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab) deu um salto de qualidade e prestação de serviços na atual gestão do governador Reinaldo Azambuja. Isso porque a partir de 2015, inaugurou a nova sede localizada no Centro da Capital com as adequações necessárias de atendimento com acessibilidade para pessoas com deficiência,  lançou a Casa de Qualificação com centenas de cursos gratuitos, além de realizar atendimentos em parceria com o Procon, Programa Vale Renda e Vale Universidade.

Tudo isso sem deixar de lado os serviços de intermediação de emprego, seguro-desemprego, emissão de carteira de trabalho, qualificação social e profissional, apoio à geração de trabalho e renda e microcrédito, que continuam a ser oferecidos em horário comercial. Segundo o coordenador do Trabalho, Edson Bobadilha, a agência recebe diariamente cerca de 500 pessoas em busca de serviços que são essenciais ao trabalho e o que o Governo do Estado oferece de forma gratuita.

No ano de 2015, foram oferecidos cursos de desenvolvimento pessoal; corte cabelo; depilação; manicure e pedicure; maquiagem; camareira; garçom e informática básica; voltados para desempregados e empregados sob risco de desocupação; trabalhadores beneficiários do seguro desemprego; trabalhadores beneficiários dos programas sociais; jovens que buscam emprego, ocupação e renda e empreendedores, artesãos e autônomos. Por meio das 31 Casas do Trabalhador no MS, foram atendidas 475.522 pessoas até o mês de outubro de 2015, com 80.000 encaminhamentos para as vagas intermediadas.

Em 2016, a Fundação realizou 172 mil atendimentos na Capital. Em intermediação de mão de obra foram 76.033 pessoas encaminhadas ao mercado de trabalho, 7.424 carteiras de trabalho emitidas e 67 mil entradas de seguro-desemprego. Houve a realização de cursos básicos de curta duração e de baixo custo, proporcionando inclusão social e produtiva, com entrega de certificados a 1.166 trabalhadores. Somente por meio do projeto Tecendo Renda, Pão & Sonho, realizado em parceria com o Programa Rede Solidária, mais de 400 pessoas da região do Anhanduizinho foram qualificadas.

Microcrédito

Outra importante ferramenta disponibilizada pela Fundação é a concessão de microcrédito para fomentar a economia de Mato Grosso do Sul. Dados da Funtrab revelam que no ano de 2016, foram realizados 57 empréstimos, somando o valor total de R$ 139.800,79.

Para este ano de 2017, a Funtrab firmou parceria com Credquali-MIQ e oferece microcréditos de até R$ 7 mil. Para o microempreendedor individual informal está disponível um capital de giro de até R$ 3 mil, para investimento fixo o valor é de até R$ 4 mil e para investimento misto, é possível obter um microcrédito de até R$ 6 mil.

E para o microempreendedor individual formal (MEI) as linhas de microcréditos são: capital de giro no valor de R$ 4 mil, para investimento fixo é até R$ 5 mil e para investimento misto é até R$ 7 mil. Os interessados devem procurar a sede da Fundação.

Unidade móvel

Com vistas a aproximar os moradores dos bairros às vagas de empregos, a Funtrab lançou em 2015 a Unidade Móvel de Atendimento (UMA). Por meio de uma unidade móvel tipo Van, agentes visitam os bairros semanalmente levando à população que não tem condições de se deslocar ao centro, acesso às atividades da Funtrab.

O objetivo é ampliar a inserção do cidadão no mercado de trabalho, aproximando os moradores dos bairros em que a Unidade Móvel estiver percorrendo, das vagas de emprego disponibilizadas pelas empresas da região e das oportunidades constantes em seu banco de dados.

Durantes as visitas da unidade móvel são efetuados também os serviços de emissão de carteira de trabalho, disponibilização de microcrédito e palestras sobre empregabilidade. Segundo a Funtrab, em 2016 a unidade atendeu 3.354 pessoas.

Para o governador, esses dados reforçam a importância da Fundação para o trabalhador de Mato Grosso do Sul. “A manutenção dos postos de trabalho é fruto de um esforço coletivo, entre governo e empresariado, onde a gestão do Estado garante a sustentabilidade fiscal e os investimentos, enquanto o mercado absorve as atratividades na diversificação da economia local e nos benefícios fiscais, contribuindo assim para a geração de vagas de trabalho. Estamos mantendo um quadro positivo na geração de empregos, isso significa a recuperação da nossa economia, mesmo num período difícil”, finalizou.

A sede de Campo Grande fica na rua 13 de Maio, nº 2773, no centro da Capital e funciona das 07h às 17h30.

Comentários