Fundação de Cultura oferece oficina gratuita de vídeo mapping

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul oferece a Oficina de Video Mapping no auditório do Museu da Imagem e do Som, de 19 a 23 de julho (terça a sexta-feira das 18 às 22 horas e sábado das 9 às 13 horas). O curso será prático e teórico, são 15 vagas e o ministrante será Washie Pichinin.

O público alvo são vídeo artistas, artistas, arquitetos, Vjs, DJs, produtores que tenham que familiaridade com animação. As inscrições são gratuitas, a forma de seleção será análise de currículo e o material para participar da oficina é computador pessoal e pendrive.

Video mapping ou mapeamento de vídeo é uma técnica que consiste na projeção de vídeo em objetos ou superfícies irregulares, tais como estruturas de grandes dimensões, fachadas de edifícios e estátuas (cuja projeção pode ser feita a 360º). Através da utilização de um software especializado os objetos de duas ou três dimensões são formados virtualmente, a partir dessas informações o software interage com um projetor para adaptar qualquer imagem à superfície do objeto escolhido. Pode-se dizer que há uma reconstrução do espaço real existente através da adição de espaço virtual. Com esta técnica os artistas podem criar dimensões extras, ilusões ópticas e noções de movimento em objetos estáticos. Normalmente são criadas narrativas audiovisuais através da combinação ou desencadeamento de vídeo com áudio.

Washie Pichinin é designer com vivência no exterior e trabalha na área há mais de 20 anos. Trabalhou na criação e desenvolvimento de aplicações interativas para vários segmentos do mercado corporativo, para o mercado de entretenimento e jogos, para o mundo de eventos, artes cênicas e atualmente em artemídia.

Washie é Motion Designer de 51 anos, natural de Araraquara, São Paulo. Com formação em Ciências da Computação, Matemática e Design é considerado um dos pioneiros em multimídia no Brasil. Iniciou sua jornada interativa criando aplicações para museus, para o mundo corporativo e para games. Evoluindo com a tecnologia atualmente utiliza as plataformas de creative code como Processing, OpenFrameworks e Cinder. Seu grande interesse é a integração de várias mídias a elementos analógicos e digitais bem como a iluminação cênica para proporcionar experiências imersivas de alto impacto com foco primordial na interatividade.

Participou de vários projetos premiados envolvendo material de apoio a exposições, games, material promocional para estandes, congressos e eventos. Nos últimos 15 anos foi Diretor de Criação da WebSoluções de onde, recentemente, partiu para sua carreira solo. Desenvolveu soluções interativas para os museus Lazar Segall, Pinacoteca do Estado de São Paulo, Oi Futuro e Museu da Língua Portuguesa. Atualmente ministra oficinas de video mapping, design de games e maquete eletrônica nas Oficinas Culturais do Estado de São Paulo sendo mediador e coautor de um video mapping para a comemoração do aniversário de 9 anos do Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura na Casa Das Rosas em São Paulo.

É consultor de tecnologia para o Museu do Palmeiras em São Paulo e o Museu Interativo da Biodiversidade do Aquário Pantanal em Campo Grande, MS. Participa do Coletivo Sense Lab onde pesquisa novas formas de interfaceamento homem-máquina desenvolvendo novas técnicas de integração captadores de imagem, sensores de movimento e aparatos analógicos para aplicação em peças interativas e games nas áreas de museus, exposições temporárias, artes cênicas e eventos corporativos.

Confira o cronograma da oficina:

Aulas 1. Linguagem e Espacialização Conceitos de vídeo mapping e arquitetura, dimensão, espaço interno e externo. História e referências ao redor do mundo. Ferramentas e fluxograma para a criação de um projeto. Software relacionado: Google Scketchup. Aulas 2. Projetor e Tecnologias de Luz Tecnologias de projetor, tipos de lente, resolução de imagens, cabos, ciclorama, telas e materiais para projeção em ambientes luminosos, cálculos, tecnologia de LED. Aulas 3, 4. Produção de Conteúdo de Vídeo Roterização, captação de imagens via câmeras e scanners, formatos de compressão de vídeo, edição de vídeo, pré-produção e videografismos. Conceitos técnicos fundamentais para produção 2D e 3D em video mapping. Principais formas de construção de conteúdo, técnicas especiais e truques visuais. Software relacionado: Adobe After Effects. Aulas 5. Softwares de VJ e mapeamento Protocolos MIDI e OSC, mixers de vídeo, softwares para VJing e video mapping. Softwares relacionados: VPT, Resolume Arena, Millumin, Modul8 e MadMapper. Checklist para montagem e apresentação no espaço.

Para mais informações e inscrições, entrar em contato no MIS pelo telefone (67) 3316-9178 ou pelo e-mail [email protected]

Comentários

comentários