Frente de esquerdas sucumbe com PT e PSOL confirmando candidatos na Capital

Alex em encontro sábado.

A suposta “Frente das Esquerdas” para as eleições 2016, que foi sugerida e sonhada no Brasil e também trabalhada em Campo Grande, não prosperou e até mesmo o que já existia ou existiu não se firmará. A Frente que de certa forma já foi oficial, para chegar ao poder nacional e ficou nos primeiros anos de governo Federal com o PT na frente, foi se dissipando e viu surgir ou tomar força o atual quadro nacional de avanço das forças da direita e do conservadorismo até retrogrado. Com isso, principalmente com o afastamento da presidente Dima Rousseff, se reunirão no processo e ‘pensaram’ em retomar a aglutinação. Mas, não houve tempo para convergências e cada partido seguiu caminhos diferentes e até antagônico para disputar ou apoiar pretendentes a prefeitura da Capital e cidades do interior de MS, como pelo País, caso de São Paulo que terá três candidatos pelo PT-PCdoB, PSOL e Rede, além dos nanicos PSTU.

Em Campo Grande, o PT oficializou o nome de seu vereador Marcos Alex, no último sábado (30) e deve seguir sozinho ante a outros pleitos, que contou com PDT, PCdoB, PSB e até outros médios partidos e de centro-direita, como o PR. Alex poderia ter a companhia dos comunistas, mas que estão mais propenso a ir para lado da reeleição de Alcides Bernal. Os comunistas devem desistir, como fez o PDT, que ainda deu uma guinada ao contrario e declarou apoio a candidatura do PSDB, como o Página Brazil antecipou. Os pedetistas foram anunciados na convenção tucana, no sábado, que oficializou o nome da vice-governadora Rose Modesto para concorrer ao Paço Municipal. Os ainda mais radicais de esquerda, o PSTU, também sábado, ratificou o nome de seu eterno candidato Suel Ferranti, como já havíamos publicado, e, o PSOL oficializou hoje, a novidade com nome de uma mulher, a historiadora Rosana Santos para a disputa, em sua primeira eleição para qualquer cargo público.

O PT, apesar do atual momento de crise nacional e sem nome forte na Capital, não fugiu a sua história de sempre ter um candidato próprio. Esta ano, os petistas até cogitaram a fugir da ‘regra’ e poderiam ter apoiado outro nome da “frente das esquerdas”, como foi cogitado e até defendido o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT). Diversas lideranças, como até na dianteira maior, o ex-governador Zeca do PT, hoje parlamentar, trabalhou diretamente por Dagoberto, mesmo com o postulante ou já lançado Alex, como candidato da legenda, sem ser consolidado, como publicamos a treze dias.

Assim, para não fazer diferente do que é costume histórico, o Partido dos Trabalhadores confirmou sábado (30) durante encontro municipal de lideranças e filiados que lançará candidato próprio para concorrer à Prefeitura. A oficialização de fato ficou em aberto para escolher o vice e ver possível aliança, até na convenção em si, que ocorre na sexta-feira (5), com Alex do PT na cabeça de chapa. Ele foi até líder na Câmara da primeira fase da gestão de Alcides Bernal (PP), mas migrou para a oposição por decisão partidária, após volta do prefeito cassado em agosto do ano passado.

Henrique Nascimento e Rosana Santos, candidatos a vice e a prefeita. (Foto: Divulgação PSOL)
Henrique Nascimento e Rosana Santos, candidatos a vice e a prefeita. (Foto: Divulgação PSOL)

PSOL

O PSOL confirmou ontem (31), durante sua convenção partidária, o nome de Rosana Santos, para disputa da prefeitura de Campo Grande. Em chapa pura, o partido ainda indicou o professor Henrique Nascimento como vice. A legenda resolveu apostar em novas lideranças, tanto que será a primeira eleição da dupla.

PT ainda à espera

O nome de Alex passou por um longo caminha de acertos e desacertos de negociação, como o Página Brazil acompanhou. A presidente municipal do PT, Maria Rosana, até assumiu disse que outros nomes foram estudados, mas as lideranças optaram por lançar Alex pelo fato dele ser um parlamentar experiente e muito atuante no partido. “Ele tem uma militância longa, passou por quase todos os cargos dentro do partido e queremos uma gestão voltada para os trabalhadores, com a participação dos movimentos sociais”, disse.

O deputado estadual Amarildo Cruz também declarou apoio à candidatura do vereador à chefia do Executivo municipal. “Eu defendia uma frente de esquerda maior [coligação com vários outros partidos], mas as negociações não avançaram e o Alex buscou muito isso. Temos de dar esse voto de confiança para ele”, disse Cruz ante a sucumbida Frente de esquerda, onde o PT ainda buscava coligação com o PSOL e com o PCdoB para montar o grupo. Contudo, o PSOL já lançou a candidata e os comunista devem decidir a posição somente na quinta-feira (4). Esqeurda

Alex disse estar feliz com a confirmação e que se eleito, vai basear a sua administração no diálogo. “Quero e vou ter uma boa relação com a Câmara Municipal, quero os vereadores participando diretamente da administração. Assim não terei problema com partidos, com oposição”, declarou. Ele lembrou ainda que quer ter uma boa conversa com o governo estadual. “Vamos buscar parcerias. Sempre fui um homem de diálogo, vou saber conversar com diferentes seguimentos”, completou.

Apoio ‘de peso’ – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou mensagem gravada para a militância, pedindo apoio dos correligionários para Alex. “A militância tem enfrentar essa situação que o PT está passando de cabeça erguida”, resumiu.

A chapa proporcional, segundo Maria Rosana, será lançada com 29 candidatos a vereador e a meta é eleger de três a quatro candidatos para o Legislativo municipal.

Comentários

comentários