Forte terremoto atinge a Itália, e derruba construções históricas

Um forte terremoto de magnitude 6,6 atingiu a região central da Itália neste domingo, dia 30 de outubro, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), causando o colapso de mais construções e igrejas históricas em pequenas cidades e vilarejos atingidos por tremores nos últimos dias.

magem mostra desabamento em Norcia (Foto: Sky Italia vía AP)
magem mostra desabamento em Norcia (Foto: Sky Italia vía AP)

O sismo derrubou construções em diversos lugares na região central do país, que já havia sofrido um tremor na quarta-feira (26). A Proteção Civil italiana afirmou que o terremoto foi sentido do norte ao sul do país, de Bolzano, próximo à fronteira do país com a Áustria, à região de Puglia, no extremo sul.

Não há informação sobre mortos, mas dezenas de pessoas ficaram feridas sem gravidade, segundo o chefe da Defesa Civil italiana, Fabrizio Curcio. Apenas uma pessoa está “em condição mais grave”, segundo a France Presse. Várias pessoas foram tiradas com vida dos escombros – seis em Norcia, três em Tolentino.

O tremor provocou deslizamentos de terra e o tráfego em muitas estradas nesta região central da Itália está interrompido. Em Roma, linhas do metrô foram fechadas devido a problemas técnicos causados pelo terremoto. O dano nas construções é “substancial”, segundo a agência de notícias Reuters.

O terremoto desta manhã é o mais forte a atingir a península desde 1980, de acordo com o jornal Corriere della Sera. O tremor de Áquila, que matou mais de 300 pessoas em 2009, teve uma magnitude de 6,3, segundo a France Presse.

O tremor ocorreu às 7h40 do horário local (4h40 do horário de Brasília) e provocou medo entre a população da região de Úmbria, segundo a agência de notícias EFE. Uma transmissão ao vivo mostrou o colapso de uma igreja no centro de Norcia, uma cidade de 4 mil habitantes perto de Perugia, de acordo com a Reuters.

Em Norcia, a Basílica de San Benedetto, construída no século XIV, ficou parcialmente destruída. Segundo a lenda, foi construída sobre o local de nascimento de São Bento, fundador da Ordem Beneditina, nascido em 480. O primeiro-ministro italiano prometeu reconstruir casas e igrejas destruídas pelo abalo.

Norcia está na região que já havia sido afetada por outro forte terremoto, de magnitude 6,2, que deixou 300 mortos. Na ocasião, também foram fortemente atingidos os municípios de Amatrice, de 2 mil habitantes, e Accumoli, de 700.

Neste domingo, em Amatrice, cidade que pagou o preço mais alto durante o tremor de agosto, com mais de 250 mortos, foram registrados apenas “poucos feridos”, segundo o prefeito de Amatrice, Sergio Pirozzi. “Nenhum morto e esta é uma boa notícia”, disse a uma rádio.

O Serviço Geológico divulgou inicialmente que o sismo deste domingo havia sido de magnitude 7,1, mas revisou o número para baixo. O tremor ocorreu na região da Úmbria, a 68 km a sudeste de Perugia, a 6 km de Norcia e a 10 km de profundidade, segundo o USGS.

“Foi um terremoto terrível e devastador”, afirma Vera Lúcia de Oliveira, professora universitária que mora em Perugia e foi acordada pelo terremoto. “Eu estou muito assustada, embora já tenha vivido outros terremotos antes. Este, no entanto, nessa intensidade, nunca tinha ocorrido nesta região, é algo anômalo.”

O Papa Francisco demostrou solidariedade às vítimas do tremor, segundo a Reuters.

O prefeito de Ussita (povoado a cerca de 20 km de Norcia), Marco Rinaldi, comentou o impacto do tremor na na Basílica de San Benedetto e a prefeitura. “Caiu tudo, é um desastre”.

Como tantos outros povoados da região, Ussita foi evacuada depois dos terremotos quarta, que provocaram numerosas destruições, mas não deixaram vítimas. Há 4 dias, três tremores — de magnitudes 5,5, 6,0 e 4,9 — atingiram em cerca de 4 horas de intervalo a região e causaram desabamentos e danos. As localidades mais próximas ao epicentro dos terremotos foram Castelsantangelo sul Nera, Visso, Ussita e Preci. (G1)

Comentários

comentários