Força-tarefa trabalha na remoção de 60 toneladas de dinamite após explosão

O exército comanda uma força-tarefa que trabalha nesta segunda-feira (10), na remoção de cerca de 60 toneladas de explosivos que ainda permanecem no local do acidente com um caminhão, em Bocaíuva do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba.

Por motivos de precaução, a Polícia Militar isolou e mantém sob vigilância a área. No sábado (8), um caminhão carregado com oito toneladas de dinamite explodiu, atingindo galpões onde havia outras 50 toneladas de explosivos.

O terreno pertence a uma empresa que armazena esse tipo de material. Pouca coisa sobrou. No entanto, um dos galpões ainda está cheio de dinamites, por isso, o risco de explosão na área é enorme e o trabalho da força-tarefa é justamente garantir que o material seja retirado sem nenhum risco para quem mora na região.

Casas foram destelhadas com a força da explosão (Foto: André Rego/ Divulgação/ Defesa Civil de Bocaiúva do Sul)
Casas foram destelhadas com a força da explosão (Foto: André Rego/ Divulgação/ Defesa Civil de Bocaiúva do Sul)

A explosão

Os destroços foram encontrados a dois quilômetros de distância do local. Com o impacto da explosão, vidros e telhados de casas que ficam em bairros próximos quebraram.

Ao todo, 24 residências ficaram completamente destruídas; 180 moradores ficaram levemente feridos. Ao todo, 160 famílias foram prejudicadas: parte delas só pôde voltar para casa na manhã de ontem (9).

O dono da fábrica de dinamites Explopar, Milton Lino Silva, de 61 anos, foi preso na tarde de sábado. Ele afirmou à polícia que estava em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, no momento da explosão e que não sabe o que pode ter causado o acidente.

Segundo ele, a empresa está regular e o único incidente foi o furto de 100 kg de material explosivo há um mês. Na ocasião, de acordo com Silva, o Exército fez uma vistoria no local e não o autuou. O empresário foi preso por armazenamento irregular de explosivos, crimes e danos ambientais e ainda risco de morte aos quais ele submeteu centenas de pessoas.

O delegado de Bocaiúva do Sul, Mário Sérgio Bradock, disse que já havia um inquérito instaurado para investigar as irregularidades no armazenamento de dinamites na empresa. Bradock afirmou que o caminhão estava sendo manobrado quando começou a pegar fogo, causando a explosão.

Com informações do G1

Comentários

comentários