Força-tarefa flagra “gatos” de energia em casas, açougue a motel

A primeira operação do ano entre a Polícia Civil e a Energisa contra furtos de energia elétrica já confirma o crime em poucos minutos de ação. Casa, motel e açougue foram flagrados com irregularidades na manhã desta quinta-feira (28), em Campo Grande.

Técnicos vistoriaram locais após apuração do centro de inteligência da Energisa — Foto: Energisa/Divulgação

Foram vistoriados 120 pontos, deste número, 52 possuíam alguma fraude, contabilizando 48% dos alvos. Os envolvidos foram encaminhados para a delegacia e autuados em flagrante pelo crime.

A inspeção foi feita com base das apurações do Centro de Inteligência de Combate a Perdas, que faz monitoramento constante do consumo, conforme determinação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Ao todo, 20 equipes participam da ação.

O delegado Ricardo Meireles, plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), da Vila Piratininga, pontou que a fiscalização ocorre em etapas. “Constatado o furto de energia essas pessoas são ouvidas na 5ª delegacia. Daí se vê a necessidade de iniciar inquérito que pode resultar em auto de prisão em flagrante”, disse.

Ele explica que a pena de furto é de quatro anos de reclusão e se qualificado a pena pode passar para 5 ou 6 anos.

O delegado orienta que a pessoas que perceberem que a conta está muito abaixo do consumo devem pedir uma análise da Energisa. Mas se a pessoa ciente está pagando aquém do que seria e deixa a situação perdurar está cometendo o crime

No ano anterior, ainda conforme a Energisa, foram realizadas 107 mil inspeções de combate a este tipo de crime, totalizando 17,2 mil autuações. No período investigado, a perda equivale ao consumo mensal das cidades de Corumbá e Ponta Porã, com impacto de R$ 16,3 milhões no caixa da empresa, deixando de arrecada R$ 4 milhões de impostos para o governo do Estado.

Comentários