Foco, torcida, reza e superstições: os mantras do Palmeiras na reta final

“Está perto, mas não tem nada ganho”: o discurso dos jogadores e da comissão técnica para as últimas três rodadas do Campeonato Brasileiro é claro. Com quatro pontos de vantagem e com nove a serem disputados, o Palmeiras parte para a reta final da temporada cobrando respeito aos adversários e tentando controlar a ansiedade.
Palmeiras torcida (Foto: Marcos Ribolli)
Palmeiras torcida (Foto: Marcos Ribolli)

Após o empate com o Atlético-MG, na quinta-feira, em Belo Horizonte, o time do técnico Cuca está a duas vitórias de confirmar o título nacional. No domingo, quando o Verdão já pode garantir o título, o adversário promete vida dura: o Botafogo é o quinto colocado, com 55 pontos, e tem a terceira melhor campanha do returno.

– Demos mais um passo importante, nos aproximamos, mas ainda não dá para afirmar nada. Temos uma situação boa com dois jogos em casa, diante do nosso torcedor, onde somos muito fortes. Mas temos de trabalhar porque o Botafogo vem fazendo um segundo turno muito bom. Temos de ter tranquilidade – disse Moisés.

Para tentar controlar os ânimos e afastar o grupo da pressão do dia a dia da Academia de Futebol, o Palmeiras buscou novamente refúgio em Atibaia. Fora de campo, a torcida fez a parte dela e já esgotou os ingressos para as partidas contra o Botafogo (dia 20) e Chapecoense (dia 27).

Depois de ser obrigado a fechar o setor Gol Norte por cinco partidas por causa de punição imposta pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), o Verdão, dono da melhor média de público do torneio, voltará a contar com a arena lotada. Melhor cenário para confirmar o título, Egídio?

– Nada melhor que jogar esses jogos superdecisivos em casa, diante do nosso torcedor, que volta a poder novamente encher a arena. Poderíamos ter saído (de Minas Gerais) com uma vitória na cabeçada do Vitor Hugo, mas Deus sabe de tudo, tem a hora certa. Se não foi para ser agora, será em casa diante do nosso torcedor – disse o lateral-esquerdo.

Vivendo os últimos dias de mandato, Paulo Nobre tem mantido a rotina de acompanhar a equipe nas partidas também longe de São Paulo. Ao lado de todos os quatro vices, ele esteve em Belo Horizonte e acompanhou de perto o empate.

Supersticioso, o dirigente engrossa o coro de concentração máxima até a última rodada e diz apelar para a fé em momentos de maior tensão.

– Futebol é muito dinâmico. Faltam três jogos, precisamos desses seis pontos. Vamos focar até o final. O que vale é sempre o próximo jogo. Foco total no jogo contra o Botafogo. Eu sofro como torcedor e como presidente, responsável por tudo o que acontece. É um sofrimento duplo. Vamos levando da maneira que dá. Quando aperta, eu desço para o vestiário e dou uma rezada – contou o presidente do Verdão.

E as manias do técnico?

– Isso é brincadeira de vocês. Esse negócio de não dar ré no ônibus, não tem nada disso. Teve um cara que falou que eu não como frango. O que mais tem lá em casa é frango, é o mais barato que tem… Churrasco? Frango! Vou dar picanha, que é R$ 49 o quilo. Algumas eu tenho, mas a maioria criam. Calça? Senão vão dizer que eu vou ficar sem calça… A calça é boa, tem elástico, fica bem… A cor… Depois do campeonato dá para dar uma trocada… – confessou Cuca, rindo.

Próximo adversário: Botafogo
Local: Arena do Palmeiras, em São Paulo
Data e horário: domingo, às 17h (de Brasília)
Escalação provável: Jailson; Jean, Mina (Edu Dracena), Vitor Hugo e Zé Roberto (Egídio); Tchê Tchê, Moisés e Cleiton Xavier (Thiago Santos); Róger Guedes, Dudu e Gabriel Jesus
Desfalques: Fernando Prass e Roger Carvalho
Pendurados: Vitor Hugo, Arouca, Thiago Santos, Matheus Sales, Cleiton Xavier, Dudu, Gabriel Jesus e Rafael Marques
Arbitragem: Elmo Alves Resende Cunha, auxiliado por Fabricio Vilarinho da Silva (Fifa) e Bruno Raphael Pires (Fifa), todos de GO
Transmissão: TV Globo (com Cleber Machado, Casagrande, Juninho Pernambucano e Leonardo Gaciba) e Premiere e Premiere HD (com Milton Leite e Mauricio Noriega)
Tempo Real: GloboEsporte.com a partir das 16h (Globoesporte)

Comentários

comentários