Flamengo tem pior início em casa nos pontos corridos

O Flamengo não contou com Guerrero e Emerson Sheik na derrota por 3 a 0 para o Corinthians, no último domingo (12), no Maracanã. Mas o impedimento contratual tampouco amenizou a revolta da torcida com a péssima campanha do time no Campeonato Brasileiro. Desde 2003, quando a fórmula por pontos corridos surgiu, o clube tem na atual temporada o pior desempenho em casa na competição.

Cristovão Borges tem a missão de tirar o Flamengo da degola (Foto:Juliana Flister/LANCE!Press) Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/flamengo/Flamengo-pior-inicio-Brasileiro-corridos_0_1369663206.html#ixzz3foET4yRW  © 1997-2015 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!
Cristovão Borges tem a missão de tirar o Flamengo da degola (Foto:Juliana Flister/LANCE!Press)

Em seis partidas disputadas no Rio, a equipe da Gávea venceu apenas a Chapecoense (1 a 0) e empatou com o Sport (2 a 2). Nos outros quatro jogos, o time rubro-negro colecionou derrotas para Fluminense (3 a 2), Atlético-MG (2 a 0), Figueirense (2 a 1) e Corinthians (3 a 0). Um aproveitamento de apenas 22% e que o mantém na briga contra o rebaixamento.

“Não temos o controle em casa por conta da necessidade. A ansiedade é maior e nos atrapalha. É ruim, pois desta forma buscamos o resultado e cometemos erros. Precisamos fazer do Maracanã um lugar no qual o adversário nos respeite e tenha medo. É impossível atuar em casa e não propor o jogo, mas erramos bastante. Um campeonato deste nível não perdoa”, avaliou o técnico Cristóvão Borges.

A 15ª posição na tabela, com apenas 13 pontos, levou a paciência da torcida ao limite. Com o passeio corintiano no Maracanã, alguns torcedores deixaram o estádio ainda no intervalo, enquanto boa parte não suportou o terceiro gol, marcado por Jadson aos 17min do segundo tempo, e tomou o rumo de casa.

Cristóvão vive situação delicada em determinadas correntes do clube e a cobrança alcançou a arquibancada. Ele foi o principal alvo das organizadas. O comandante observou da área técnica a revolta com xingamentos e vaias sem esboçar reação. Os gritos de “burro” deram o tom do protesto.

Jogadores como Canteros, Wallace, Jonas, Gabriel, Paulinho, Marcelo Cirino e César estiveram na mira da torcida durante o compromisso e deixaram claro o clima pesado para a sequência de jogos. A esperança está justamente em Sheik e Guerrero. É com a dupla que o Flamengo tentará um rumo diferente a partir de quarta-feira (15), quando enfrentará o Náutico, fora de casa, por uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Folha.com

Comentários

comentários