Flamengo se reúne com governo do Rio para falar sobre Maracanã

Globoesporte.com/JP

O Flamengo se reuniu, na manhã desta terça-feira, com o governo do Rio de Janeiro para ouvir ideias sobre a gestão do Maracanã. O presidente do Rubro-Negro carioca, Rodolfo Landim, deixou a conversa acompanhado do vice de comunicação e marketing, Gustavo Oliveira, sem dar maiores detalhes sobre a conversa. A repórter Gabriela Moreira participou do Redação SporTV e atualizou as informações.

– Não deram detalhes. Disseram que preferem ouvir o que o estado tem a dizer sobre quais serão as condições dessa parceria que o governo do estado está propondo. Perguntei como ficaria a relação caso a Ferj – que o Flamengo entrou em bastante conflito na última gestão – administre o estado, eles disseram: pergunte para a Ferj. Não quiseram dar detalhes nem neste ponto.

De acordo com a concessionária que administra o Maracanã, não há a intenção de entrar na justiça contra o estado do Rio pela quebra de contrato. A princípio, a Odebrecht está tentando entender a decisão do governo e pretende resolver a questão de maneira consensual.

– O departamento jurídico deles estava tentando entender o que o governo do estado chama de caducidade do contrato. Porque eles não entendem que o não pagamento das prestações que deveriam pagar pelo uso do Maracanã, a concessionária não entende que isso é uma caducidade do contrato. A Odebrecht encara isso como um não-cumprimento do contrato. O governo do estado licitou cinco equipamentos e só entregou um, que é o Maracanã. Ficaram de fora o parque aquático Julio Delamare, o Célio de Barros, o Museu do Índio e a Escola Friedenreich.

– Eles dizem que não devem pagar essa contrapartida, que era justamente por este entorno, e evitam falar em judicializar a questão. Mas eu ousaria dizer que eles estão menos otimistas do que no início da questão em relação a essa decisão que pode realmente se concretizar. Está concretizada por força do estado, mas eles também acenam com a possibilidade de não brigar judicialmente pelo Maracanã.

Comentários