Filho de diretor da Lamia é detido para questionamentos

A Procuradoria-Geral boliviana prendeu nesta quinta-feira (8) Gustavo Vargas Villegas, filho do diretor da LaMia, empresa responsável pelo avião que levava a delegação da Chapecoense e caiu em Medellín na última semana. A informação foi dada por Ramiro Guerrero, procurador-geral do Estado.

Villegas era ex-diretor do Registro Aeronáutico Nacional, que faz parte da DGAC, a agência de aviação civil boliviana. Ele foi o responsável por autorizar a LaMia a operar.

“Teve início as investigações nos escritórios da DGAC. Foi detido o senhor Gustavo Vargas Villegas, por crime de uso indevido de influências, negociações incompatíveis com o exercício das funções públicas e com o não cumprimento dos deveres”, explicou Guerrero.

Durante entrevista coletiva, Ramiro Geurrero, procurador-geral, não descartou a hipótese de convocar Milton Claros, ministro de Obras Públicas da Bolívia, para prestar explicações.

Na última quarta-feira, promotores de Brasil, Bolívia e Colômbia se reuniram em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, para discutir os rumos da investigação envolvendo o avião que transportava a Chapecoense. Durante a entrevista coletiva, um quadro atrás dos promotores apontava rumos do inquérito.

Em uma parte do quadro usado pelos promotores aparece “homicídio culposo”, seguido por quatro possíveis investigados: Miguel Quiroga (piloto do avião que caiu), Aasana (órgão responsável pelos aeroportos na Bolívia), Ministério de Obras Públicas da Bolívia e a DGAC (agência de aviação civil boliviana).

Comentários