Fifa anuncia nesta segunda-feira os finalistas da Bola de Ouro deste ano

O mundo saberá nesta segunda-feira quem são os três melhores jogadores de futebol de 2015, e, depois de oito anos, o Brasil tem boas chances de ter um representante no pódio: Neymar.

30bola

Em alta no Barcelona, o craque é apontado pela imprensa europeia como favorito a ocupar um lugar ao lado de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo em anúncio que será realizado pela Fifa, às 11h (de Brasília). Seu companheiro no clube catalão, Luis Suárez é a maior ameaça.

Em entrevista ao “Esporte Especular”, domingo, Neymar revelou acreditar que merece, sim, um lugar entre os que participarão da festa de gala da Fifa em 11 de janeiro. O brasileiro torce ainda por uma disputa toda em azul e grená, com o tridente do Barcelona deixando o madridista Cristiano Ronaldo fora. A última vez que isso aconteceu foi em 2010, quando Messi ficou com a Bola de Ouro após concorrer com Andrés Iniesta e Xavi.

O argentino esteve no pódio nos últimos oito anos, enquanto o português, que divide com ele o topo do futebol mundial desde 2008, foi excluído somente no ano dominado pelo Barça. A última vez que o troféu não ficou com Messi ou Cristiano Ronaldo foi justamente quando um brasileiro entrou na disputa: Kaká foi o vencedor em 2007.

O Brasil, por sinal, é o maior vencedor do prêmio, com oito conquistas: três de Ronaldo, duas de Ronaldinho, uma de Kaká, uma de Rivaldo e uma de Romário. Argentina, todas com Messi, e Portugal, com três de Cristiano Ronaldo e uma de Figo, vêm em seguida, com quatro.

Ainda nesta segunda-feira, a Fifa anunciará os finalistas de outros prêmios: melhor jogadora, melhor treinador de equipes masculina e feminina e Puskas, dado ao autor do gol mais bonito do ano.

Nesta última disputa, o jejum brasileiro é mais recente. Indicado por quatro anos seguidos, Neymar ficou com o Prêmio Puskas em 2011, por um gol marcado diante do Flamengo, na Vila Belmiro, quando defendia o Santos.

Desta vez, o desconhecido Wendell Lira é o representante do país. Quando defendia o Goianésia, no estadual de Goiás, ele emendou de voleio para balançar as redes do Atlético Goianiense e ser indicado ao lado de nomes como Messi e Tevez.

O centro das atenções na segunda-feira, entretanto, indiscutivelmente estará na abertura do envelope com o nome dos três indicados para Bola de Ouro. Imparáveis, Messi e Cristiano Ronaldo dificilmente não estarão nele, e os números explicam isso.

Apesar de não ter sido campeão com o Real Madrid, o português, vencedor nos últimos dois anos, soma 55 gols e 17 assistências em 56 jogos – números até o fechamento das votações, dia 20 de novembro.

Recordista, o argentino tem tudo para levar o quinto troféu após vencer a Liga dos Campeões, o Espanhol, a Copa do Rei e a Supercopa da Europa com o Barça, além de enumerar 57 gols e 23 assistências em 60 jogos. Logo abaixo, estão Neymar e Suárez, com estatísticas mais modestas, mas também impressionantes.

Indicado ao lado de CR7 e Messi ao prêmio da Uefa, vencido pelo argentino, Suárez marcou 38 gols e deu 24 assistências em 56 jogos. Já Neymar, principal destaque do Barça na primeira metade da atual temporada, balançou as redes 44 vezes e deu 13 passes decisivos em 60 aparições por seu clube e pela Seleção. Números suficientes para encerrar o jejum brasileiro desde Kaká? Nesta segunda-feira, a Fifa dará a resposta.

 

globoesporte.com

Comentários

comentários