Foto Divulgação
Foto Divulgação

O gênero de ficção científica vem resgatando cada vez mais seu espaço nos últimos anos. A mostra “Sci-Fi ” do MIS (Museu da Imagem e do Som) traz uma seleção especial de filmes do gênero que exemplificam a grande variedade de temáticas abordadas dentro da ficção científica. As exibições acontecem  de 11 a 15 de abril, sempre às 19h e com entrada gratuita. Após a exibição de cada filme serão realizadas discussões temáticas e sorteio de um brinde dado pelos apoiadores da mostra.

A curadoria da mostra fica a cargo de Daniel Rockenbach, responsável pelo blog Sentinela Positrônica, e Pietro Luigi, proprietário da SubCultura Records e curador de outras mostras do MIS. A mostra conta com o apoio da Fundação de Cultura de MS, Editora Aleph e  da Livraria Leparole.

Programação:

11/04 (segunda-feira)

Eles Vivem (1988 – 1h34) – Dir. John Carpenter

John Nada (Roddy Piper) é um trabalhador braçal que chega a Los Angeles e encontra trabalho numa construção. Durante uma inusitada operação repressiva, a polícia destrói um quarteirão inteiro do bairro miserável em que vive. Na confusão Nada encontra óculos escuros aparentemente comuns, porém ao usá-los consegue enxergar horrendas criaturas alienígenas disfarçadas de seres humanos, bem como as mensagens subliminares que elas transmitem pela mídia em geral. Nada percebe que os invasores já estão controlando o planeta e, com seu companheiro de trabalho Frank (Keith David), decide se engajar no movimento de resistência, sendo perseguido como subversivo pela polícia.

12/04 (terça-feira)

Lunar (2009 – 1h37) – Dir. Duncan Jones

Sam Bell (Sam Rockwell) é um astronauta que cumpre uma missão de três anos na Lua, em uma base instalada pela Lunar Industries. Sua função é extrair do solo e enviar regularmente à Terra um minério essencial no processo de geração de energia nuclear limpa. Sam tem apenas a companhia do computador GERTY (Kevin Spacey) e está ansioso para completar o trabalho, o que ocorrerá dentro de duas semanas, quando um novo funcionário virá substituí-lo. Só que, repentinamente, Sam começa a delirar, sofre um acidente e os planos acabam mudando.

13/04 (quarta-feira)

Enigma de outro mundo (1982 – 1h48) – Dir. John Carpenter

Antártica, inverno de 1982. Na remota Estação 4 do Instituto Nacional de Ciências dos Estados Unidos estão 12 homens (cientistas e operários), que observam com espanto um norueguês tentar de todas as maneiras matar um cão, tanto que invade a estação e atira até nos americanos, mas é morto. O helicóptero, que trouxe o intruso, explode, matando os outros tripulantes e a razão daquilo fica sem explicação. Após isto o cachorro fica na base e os americanos começam a querer saber o que realmente aconteceu. O piloto de helicóptero J.R MacReady (Kurt Russell) se oferece para viajar até a base norueguesa e tentar achar alguma explicação.

14/04 (quinta-feira)

Planeta Selvagem (1973 – 1h21) – Dir. René Laloux

No planeta Ygam vive uma raça de seres alienígenas gigantes chamados Draags. Estes seres – que por meio da meditação atingiram os mais altos níveis do conhecimento – mantêm os humanoides Oms como animais domésticos. Até o dia em que os oprimidos Oms, liderados pelo rebelde Terr, decidem iniciar uma revolução.

15/04 (sexta-feira)

Solaris (1972 – 2h45) – Dir. Andreï Tarkovski

O famoso psiquiatra Kris Kelvin (Donatas Banionis) vai à estação espacial Solaris com uma importante missão científica: decidir se o trabalho de investigação sobre o misterioso planeta Solaris deve continuar. Ao chegar à estação, Kelvin já é surpreendido pelo suicídio de um dos integrantes da tripulação, sendo que os outros dois, Snaut (Jüri Järvet) e Sartorius (Anatoli Solonitsyn), estão à beira da loucura. Com o tempo, o próprio Kelvin passa a se sentir estranho, tendo transes oníricos até encontrar sua ex-esposa Hari (Natalya Bondarchuk), falecida há anos.

Serviço:

Mostra de filmes ‘Sci-Fi´ no Museu da Imagem e do Som de 11 a 15 abril, às 19h com entrada franca. O MIS (Museu da Imagem e do Som) está  localizado na av. Fernando Correa da Costa, 559, 3º andar.

Comentários

comentários