Fetems critica PL que exclui administrativo de eleições para diretor

Parlamentares concederam espaço na sessão plenária desta terça-feira (12/5) ao presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli.

Presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação de MS ocupou tribuna para criticar projeto enviado pelo Executivo
Presidente da Federação dos Trabalhadores em Educação de MS ocupou tribuna para criticar projeto enviado pelo Executivo

O representante usou a tribuna para criticar o projeto do Executivo que exclui profissionais do administrativo do direito de participarem das eleições para diretoria escolar.

A matéria tramita na Assembleia Legislativa e deverá ser votada no próximo dia 14. Na data, Botareli prevê uma paralisação por parte dos profissionais da educação que pretendem acompanhar a votação.

“Temos vários pontos divergentes em relação à matéria e pedimos que os deputados olhem com carinho essa questão”, afirmou o presidente. De acordo com Roberto, o fato de o governo excluir o quadro administrativo do processo democrático confere um ato discriminatório. “Não entendemos o porquê dessa exclusão já que o administrativo é um profissional da educação e que é abrangido pelo Estatuto do Professor”, argumentou.

A restrição no processo eleitoral para diretoria escolar, segundo Botareli, não faz jus à realidade na qual o administrativo tem papel de destaque na gestão. “Temos atualmente seis escolas dirigidas por pessoas do administrativo e todas registraram notas acima da média do Estado”, mencionou. Dessas escolas, 2 teriam sido conceituadas como 5º melhor Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e melhor instituição alfabetizadora do Estado. “Não temos qualquer problema registrado contra uma pessoa do administrativo que está na função de diretor em Mato Grosso do Sul, mas temos casos contra professores”, comparou.

Comentários

comentários