Festival “Cine Novo Oeste” acontecerá com filmes de MS e nacional que trará Antonio Pitanga a Capital

Lúcio Borges

O mês de Abril está reservado para um grande e até inédito evento  em Campo Grande, por meio da sétima arte, o Cinema. Com produções genuínas de Mato Grosso do Sul, bem como outros filmes e ações do setor cinematográfico nacional e mundial, estarão em praça pública e de graça, com a realização do 1º Festival Cine Novo Oeste, de 12 a 15 de abril. O evento será na Praça do Rádio, no centro da Capital, com exibição de filmes de diversas temáticas, visando ainda mostrar que em “MS também tem cinema, sendo produzido”. Os quatro dias contarão também com oficinas, rodas de conversa e até a presença de artistas renomados, como o ator Antônio Pitanga, uma das figuras mais importantes do cinema brasileiro, que está confirmado para o terceiro dia do Festival. Veja abaixo, algumas breves sinopse e a lista de atrações que serão exibidas.

O ‘Cine Novo Oeste’ terá uma vasta programação, que pode ser acompanhada em facebook do festival com datas, todos os trabalhos e festas a serem desenvolvidos. O evento é de ideia original do jornalista Airton Raes Fernandes, que criou um projeto e há cinco anos lutava para ser contemplado com algum recurso ou incentivo das áreas de Cultura municipal e estadual. Após caminhada, ele conseguiu apoio do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais) e investimento da Sectur (Secretaria de Cultura e Turismo de Campo Grande)/ Prefeitura.

Fernandes, para pensar e planejar todo o contexto e quatro dias de evento, passou a contar com parceiros da cena cultural da Capital, como Mariana Cabreira, Lyra Libero, Vitor Samudio VH, Helton Pérez, Hana Chaves e Vaca Azul UNA Comunicação. “O Festival Cine Novo Oeste já está com sua programação fechada e abre os trabalhos no dia 12 de abril, a partir das 19 horas, na Praça do Rádio Clube. Neste dia de abertura, das 20 às 22 horas haverá exibição de filmes com trilha sonora executada ao vivo pela Orquestra Municipal de Campo Grande”, explica o idealizador sobre a primeira noite.

O Festival, ressalta Fernandes, é principalmente de caráter local para mostrar que “aqui no MS, na região Centro Oeste, se faz também cinema/filmes”.  Ele ratifica “é um festival com extensa programação de cinema independente, feito em Mato Grosso do Sul, que agora com apoio do Fundo Municipal – FMIC, o evento reúne um time para viabilizar o acesso da população a produções locais”, comenta.

Estrutura e atrações como Antonio Pitanga e Beto Brant

A estimativa inicial dos organizadores, é que o evento movimente mais de 6 mil pessoas entre público em geral, gestores públicos e privados, produtores culturais e cineastas. O evento também contará com exposições de artistas plásticos durante todos os dias, decoração cinematográfica e uma praça de alimentação com carrinhos de pipoca.

Como dito no começo, o ator Antonio Pitanga é uma das atrações, que na companhia do também famoso cineasta Beto Brant, exibirá o filme de sua filha Camila Pitanga e de Beto, no dia 14 de abril (sábado), às 19h20. “Após, por volta das 21 horas, ele participa da mesa ‘Os desafios da inserção dos atores negros no mercado’ e conversa com quem for prestigiar”, anuncia Fernandes.

Os festival contará com projeção e cadeiras para melhor conforto do público, como ainda irá disponibilizar 10 óculos de realidade virtual e 2 monitores para que as pessoas possam ter acesso a uma experiência diversa.

Algumas Sinopses

VAMPIROS – Direção e Roteiro – Filipi Silveira

“Vampiros” é um filme do cineasta Filipi Silveira, que vem se consagrando em trabalhos nacional, seja como ator, produtor ou diretor, onde já está sendo premiado com suas produções. O filme fala sobre a eterna sensação de solidão mesmo estando rodeados de outras pessoas. Na película, o desapego, a solidão, a conexão com outros seres humanos é mostrada de forma objetiva, com uma trilha sonora pensada para envolver o espectador. 

Os personagens são Iris é uma famosa e rica DJ e Marcos é um humilde trabalhador noturno que gosta de pintar, apesar de trabalharem nas noites e frequentarem o mesmo universo são de mundos diferentes e juntos irão perceber que a solidão os une.

A VEZ DE MATAR, A VEZ DE MORRER
Direção: Giovani Barros

Inspirada em histórias reais de violência e pela vontade discutir temas como a homofobia e masculinidade, “A Vez de Matar, a Vez de Morrer'” é um curta-metragem com forte tempero western rodado todo no interior de Mato Grosso do Sul, em cidades distante a 300 km da capital Campo Grande.

O curta-metragem conta a história de um homem decidido a vingar a morte de um familiar, assassinado pelo dono de um posto de gasolina de beira de estrada. Com elenco 100% sul-mato-grossense, as filmagens ocorreram no distrito de Nova Casa Verde, em Nova Andradina, no ano de 2014.

NÓS, O(U)TROS
Direção: Rodolfo Ikeda e Helton Pérez

Cinco histórias em diferentes línguas (espanhol, português, inglês, francês e japonês) e linguagens audiovisuais (videoclipe, industrial, noir, documentário e experimental), unidas por temáticas comuns: a identidade, a alteridade, a coletividade e a interdependência.

Um processo em construção sobre múltiplas vozes e visões do outro e de si mesmo na contemporaneidade.

Comentários

comentários