Febre amarela causa três mortes em São Paulo

O Estado de São Paulo registrou três óbitos confirmados por febre amarela silvestre em 2017, afirmou a Secretaria de Saúde nesta segunda-feira (23). Em apenas um deles a doença foi contraída em Minas Gerais, onde há um surto. As outras duas vítimas ficaram doentes nos municípios paulistas de Batatais e Américo Brasiliense.

A secretaria também registrou outros dez casos suspeitos de febre amarela em pessoas que estiveram em Minas Gerais, sendo que três evoluíram para óbito.

Em todo o ano passado, foram dois casos confirmados que levaram o paciente à morte: um no município de Bady Bassit e outro em Ribeirão Preto, ambas regiões próximas a locais de provável infecção.

Já foram confirmadas também a morte ou adoecimento de 31 macacos hospedeiros do vírus desde o ano passado até o dia 16 de janeiro nas regiões de Ribeirão Preto, Barretos, Franca e São José do Rio Preto.

Atualmente, só os mosquitos Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus no País. Os macacos são os principais hospedeiros, mas se uma pessoa não vacinada acaba entrando em contato com um mosquito contaminado pode ficar doente também. Outra preocupação das autoridades é que o vírus retorne aos centros urbanos e passe a ser transmitido também pelo Aedes aegypti , o mesmo da zika, dengue e chikungunya. Os últimos casos em centros urbanos foram registrados em 1942 no Acre.

(Com IG)

Comentários