Garota de programa planejou assassinato de aposentado a golpes de canivete no Caiçara

Três suspeitos de matar o aposentado Dário Marcelino Morel, de 81 anos, no dia cinco de agosto do bairro Caiçara, foram presos no final da semana passada por policiais da Delegacia de Especializadas e Roubos e Furtos (Derf).

Delegado contou como crime foi planejado. Foto: Ivan Silva
Delegado contou como crime foi planejado. Foto: Ivan Silva

De acordo com o delegado Carlos Delano, após investigações a polícia chegou até Edneia Paula de Almeida, de 37 anos, André Vilela Leal, de 49 anos, e Gênesis Lucas Godoy Ribeiro, de 19 anos.

Segundo o delegado, Edneia é garota de programa e era cliente habitual da vítima. Ela costumava frequentar a casa do idoso e beber com ele em bares no bairro Caiçara. “Durante uma bebedeira, ele chegou a falar para Edneia que guardava uma grande quantia de dinheiro em casa, de R$ 8 a R$ 12 mil reais. Em uma ida até a casa do idoso, ela flagrou ele contando um maço de dinheiro”, contou Delano.

Após ficar sabendo do dinheiro que o aposentado guardava em casa, Edneia chamou André, que ela conhecia da boate onde trabalhava, para roubar o idoso. Para ajudar no crime, André chamou Gênesis, que é genro de sua namorada. 

No dia do crime, Edneia foi até a casa da vítima e, após ir embora, informou a Vilela que o idoso estava sozinho na residência. Junto com Gênesis, ele pulou o muro e invadiu a casa de Dário, que estava deitado no quarto.

Ao ver que a casa estava sendo invadida, o aposentado pegou um canivete que sempre carregava e reagiu. “Vilela segurou o idoso enquanto Gênesis procurava o dinheiro na casa. A vítima começou a gritar e foi amordaçado”, revelou o delegado. A quantia informada por Edneia não foi encontrada na no local, apenas um pote com moedas. Antes de ir embora, a dupla esfaqueou o idoso com, no mínimo, vinte golpes de canivete.

Bandidos acreditavam que idoso guardava grande quantia de dinheiro em casa. Foto: Kerolyn Araújo
Bandidos acreditavam que idoso guardava grande quantia de dinheiro em casa. Foto: Kerolyn Araújo

Após o crime, Vilela, que cumpria pena por tráfico de drogas no regime semi-aberto, fugiu para a casa de familiares em Dourados. Depois, retornou para Campo Grande e, na quinta-feira (13), se apresentou para a polícia. Ele informou que Edneia estava escondida na casa de um homem em Três Lagoas.

Na madrugada de sexta-feira (14), os policiais seguiram para Três Lagoas e prenderam Edneia. No mesmo dia, no período da tarde, Gênesis foi localizado na casa de um amigo em Água Clara. 

Vilela negou a participação do crime e disse que nunca foi até a casa da vítima. Edneia alegou que sua única participação foi avisar que havia dinheiro na casa, mas que não estava no local no momento do assassinato e não pode comprovar a participação dos outros envolvidos. Já Gênesis contou que Vilela estava junto no momento da ação e foi ele quem deu os primeiros golpes de canivete no idoso. Ele também contou que não foi a primeira vez que foi chamado pelo suspeito para cometer delitos e que estavam planejando o assassinato de Edneia, pois acreditavam que ela havia roubado o dinheiro antes de sair da casa.

Os três foram presos e responderão pelo crime de latrocínio.

Kerolyn Araújo

 

Comentários

comentários