Fantástico anuncia como exclusiva denúncia que a Band exibiu antes

O Fantástico exibiu ontem (28) uma reportagem revelando que militares do Exército estão envolvidos na venda fraudulenta de vidro blindado que não protege os carros contra tiros de armas mais potentes.

O repórter Maurício Ferraz durante gravação de reportagem sobre fraude e corrupção com vidros blindados Reprodução/TV Globo
O repórter Maurício Ferraz durante gravação de reportagem sobre fraude e corrupção com vidros blindados
Reprodução/TV Globo

O material foi uma das principais reportagens do programa e, do ponto de vista jornalístico, estava irretocável. A não ser por um detalhe: a Globo a anunciou como “exclusiva”. Não era. A Band revelou as mesmas investigações sobre o caso 19 dias antes.

O Fantástico dedicou quase 15 minutos à denúncia de corrupção e fraude. Informou que o material era resultado de dois meses de investigação do repórter Maurício Ferraz. Mostrou nomes e fotos dos militares suspeitos e ouviu duas testemunhas com depoimentos contundentes.

Apesar de muito mais rico, o material da Globo não trouxe nada de novo em relação ao do Jornal da Band.

Na reportagem do dia 9, o repórter Sandro Barboza já informava que militares de alta patente, como coronéis e majores, eram suspeitos de cobrarem R$ 1.500 pela liberação de cada veículo blindado, de acordo com apuração da Promotoria de Justiça Militar.

O material também revelava que uma outra investigação, do Ministério Público de São Paulo, descobrira que uma empresa estava instalando vidros de má qualidade, que não protegem os usuários.

O Jornal da Band voltou ao assunto no sábado (27). Dedicou 20 segundos a mais do que o 1 minuto e 57 segundos da reportagem do dia 9. Foi uma resposta às chamadas do Fantástico, que desde sexta, na TV e na internet, dizia que a denúncia era “exclusiva”.

Procurada pelo Notícias da TV no sábado, a Globo disse que a reportagem do Fantástico “apresentaria com exclusividade os detalhes da investigação, com entrevistas e material que nunca foram divulgados”. No início do programa, insistiu que a denúncia era “exclusiva”

UOL

Comentários

comentários