Famílias sem-terra denunciam “ameaças armadas” em ocupação

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra de Mato Grosso do Sul (MST), por meio de uma nota denuncia a atuação de “milícias”, seguranças fortemente armados, na fazenda Saco do Céu, no distrito de Casa Verde, próximo a Nova Andradina, município a 297 quilômetros da Capital. A fazenda foi ocupada por mais de mil famílias Sem Terra, na madrugada do último dia (21).

Entrada da Fazenda Saco do Céu - Foto: Almir Portela/Nova News
Entrada da Fazenda Saco do Céu – Foto: Almir Portela/Nova News

Na nota, o movimento ressalta que a área já foi vistoriada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária e, que o proprietário já manifestou interesse em vender, porém nada foi resolvido e as famílias vivem há mais de doze anos, em três acampamentos, de baixo de lonas, as margens da rodovia na região.

“Nossa maior preocupação são com as famílias, mulheres, idosos e crianças que estão acampadas nesta área, se sentindo ameaçadas e inseguras, à espera do seu pedaço de chão. Continuaremos na luta pela Reforma Agrária! Ela não será vencida pela intimidação nunca, por isso vamos continuar denunciando e exigindo justiça por parte dos órgãos competentes, pois empresa alguma tem autorização para ameaçar pessoas com um armamento de grosso calibre”, diz a nota.

O movimento afirma que não abandonará o local, e garante que tomará outras providências caso as ameaças armadas persistam. “Resistiremos o tempo que for preciso e se a situação da milícia, ameaça real a segurança das famílias, persistir, tomaremos outras atitudes e novas áreas podem ser ocupadas no estado”, finaliza a nota.

Comentários

comentários