Família procura doador de medula para criança de 10 anos com doença rara

Uma família de Campo Grande que atualmente reside em Curitiba, no Paraná, está há quase um ano procurando um doador de medula óssea para o filho de apenas 10 anos com doença rara. A família chegou a encontrar um doador compatível, mas ele desistiu do transplante.

Kaique Zanatta foi diagnosticado em agosto de 2015 com uma imunideficiência grave, causada por deficiência do gene Dock8. A doença diminui o tempo de vida da criança, além de diversas limitações, como a alimentação. Em uma entrevista a uma emissora de televisão do Paraná, Kaique chegou a dizer que o sonho é ser curado para poder comer pizza e tomar leite (que são alguns dos alimentos que ele não pode ingerir).

bb531a72-663e-4976-92f3-a1e5340438e6

Desde que descobriu a doença, familiares e amigos do pequeno encabeçaram uma campanha em busca de doares de medula. O jogador de futebol Kaká, ídolo de Kaique, chegou a gravar um vídeo onde diz que torce pela recuperação do garoto.

Em janeiro, a servidora pública Vanessa Mansano, 39 anos, moradora de Campo Grande, foi surpreendida com um telegrama informando que ela era compatível com criança de nove anos que mora em Istambul, na Turquia.

A campo-grandense passou por uma série de exames e fez a coleta da medula no mesmo mês. Vanessa  a única entre 1 milhão de pessoas no mundo a ter uma médula óssea compatível a de um paciente em tratamento contra o câncer sem haver nenhum parentesco entre eles.

Para ser doador de medula óssea, basta fazer ter cadastro no Hemocentro mais próximo. Caso seja compatível com algum paciente, todas as despesas do transplante será bancado pelo Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

 

 

Comentários

comentários