Exposição no MIS mostra acervo sobre músicas produzidas no Estado

Lúcio Borges

O MIS (Museu da Imagem e do Som), em Campo Grande, está com uma Mostra, chamada “Memória da Música MS 40 anos”, que expõe uma série de raridades musicais produzidas por artistas locais ou em território de Mato Grosso do Sul. Todo o som e material está disponível de graça para o público na exposição.

A exposição é promovida em parceria com o pesquisador Carlos Luz, conforme a Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul. São produtos sobre músicas feitas no Estado, onde no acervo há produções entre os anos de 1950 a 1990. Dentre elas, estão LPs de Frankin e Martin, Jangão e Angelino, Canto da Terra, Alzira Espíndola, Rondon Figar, Amambai e Tony Mendes, Los Celestiales, João Fígar, Jandira e Benites, Zé Corrêa e Franquito, que nasceu em Aquidauana.

Ainda de acordo com o governo, o pesquisador afirma que Franquito teria sido o primeiro artista a gravar um vinil em MS. O acervo é fruto de doações da população e também pelo projeto Memória Fonográfica, de Carlos Luz.

O MIS está localizado no Memorial da Cultura e da Cidadania, na avenida Fernando Corrêa da Costa, 559, no Centro de Campo Grande.

Comentários