Exposição mostra roupas de vítimas de estupro para desmistificar a “culpa da mulher”

Ascom TJMS

Inspirada na exposição que ocorreu na Bélgica no início deste ano, onde foram mostradas roupas de mulheres vítimas de estupro, a advogada de Ponta Porã, Fernanda Alves Gomes Primiani, de 29 anos, apresentou na abertura do Simpósio Regional de Violência de Gênero, na noite de quarta-feira (4), na UFMS, uma mostra fotográfica com roupas e relatos de mulheres que sofreram violência sexual.

Estudiosa do assunto, Fernanda recriou a mostra nas escolas estaduais do município de Ponta Porã, com o objetivo de conscientizar e desmistificar que a culpa é da mulher nos casos de estupro. As roupas apresentadas reúnem vestidos, calças, camisas e camisetas usadas por meninas e mulheres em diferentes situações: trabalho, academia, festa.

“Com roupas infantis ou masculinas, você consegue perceber que a culpa nunca é da vítima, e que o estupro não é provocado pela roupa, é uma doença do agressor. Dentro de cada foto tem um relato da própria vítima sobre como foi”, disse.

De acordo com o 9º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, com dados de 2014, estima-se que o Brasil tinha um caso de estupro notificado a cada 11 minutos.

Pesquisa realizada em 2016 pelo Datafolha em 84 municípios brasileiros com mais de 100 mil pessoas, revelou que 90% das mulheres têm medo de ser vítima de agressão sexual.

“Muitas vezes ao sair a mulher deixa de usar determinada roupa para não se sentir assediada, pra não se sentir vulgar. Nós mulheres temos a tendência de nos sentirmos culpadas pelo estupro, tanto que na foto onde a moça estava com roupa de exercício físico, ela diz: eu pedi. É aquilo de realmente se sentir culpada pela veste que usa”, concluiu.

Depois da apresentação no Simpósio, Fernanda apresentará a mostra na I Conferência da Mulher Advogada, que acontecerá nos dias 17 e 18 de maio na Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS).

Comentários